Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

sábado, 28 de abril de 2007

1034. O túnel do Marquês

Tive esta tarde que me deslocar ao concelho de Sintra. Então, lembrei-me de sair do itinerário que normalmente faço, para passar pelo tão decantado túnel do Marquês, só para ver com estes que a terra há-de comer e percorrer com as rodinhas que a carripana tem se “aquilo” é tão perigoso e tão mau como o já muito conhecido – de outros carnavais – Fernando Curto, socialista presidente da Associação Nacional dos Bombeiros Portugueses e também aluno da UnI, tem andado a apregoar por tudo quanto é sítio, com ar de quem talvez esteja desejoso de que algo venha a dar-lhe razão.

Não venho defender a posição de Carmona Rodrigues, que não é da minha família, nem sequer do meu conhecimento e por quem até nem tenho simpatia por aí além; nem por aí aquém, diga-se. Nem a da Câmara. Venho, tão simplesmente, dar a minha opinião.

Pois é, depois das minhas duas passagens pelo túnel, uma no sentido Fontes Pereira de Melo-Amoreiras e, horas depois, à volta, outra no sentido inverso, agora com muito trânsito, constatei que o grande problema do senhor Curto, presidente da dita ANBP, é esse mesmo, ou seja, ser curto. De vista, pelo menos. Ou de vistas, o que é pior.

E mais, é certamente pouco viajado, porque, a não ser assim, não diria as enormidades que anda dizendo. Bastaria que atravessasse 10 ou 20 túneis das centenas existentes por essa Europa fora, a começar por todo o trajecto alpino, entre a França e a Itália e vice-versa e logo se convenceria de uma de duas coisas:

1 – de que anda a dizer coisas que só lhe ficam mal, por revelarem má fé ou ignorância mesmo;

2 – de que italianos, franceses, suíços, austríacos e tantos outros, não passam de uma cambada de idiotas ignorantes e irresponsáveis, pois que não lhe vieram pedir a abalizada opinião quando da construção dessas muitas centenas de túneis, muitos deles com mais de 20km de extensão e com declives tremendos e passeios de palmo (nem sequer do tamanho dos do Túnel do Marquês, mas apenas de palmo… quando os há!).

Deixando as brincadeiras...

O túnel é perfeitamente seguro e está muito bem iluminado e excelentemente sinalizado. Tudo o que o senhor Curto anda a debitar deve ser levado apenas à conta de política menor (encomendada ou não só ele saberá…).

Para dar um chuto na parvoeira e em jeito de apontamento humorístico, apenas quero referir que a alegação do referido senhor acerca da largura dos passeios ser insuficiente para a deslocação de macas ao longo do túnel, é ridícula mesmo.

Basta que nos lembremos de que, em caso de acidente (há-os seja onde for…) e sendo necessário transportar macas à mão, certamente que a distância entre o local onde o acidentado se encontrar e a ambulância para que terá de ser transportado será mínima, ou seja, nunca mais do que 2 ou 3 metros, quando muito.

É bom que se refira isto muito claramente, não vá o senhor Curto descortinar a possibilidade de os maqueiros, dando-lhes um “vipe”, desatarem a correr túnel fora, Rotunda do Marquês de supetão e Fontes Pereira de Melo ou Avenida da Liberdade, em disparada, consoante o destino seja Santa Maria ou S. José.

Mas há mais:

Na sua cega "ciência", Mr. Curto nem tão pouco se restringe ao bom-senso de calcular que, numa tal situação – de acidente com feridos a necessitar de transporte de maca – o tráfego no túnel será de imediato (portanto muito antes da chegada das ambulâncias) suspenso, pelo que os maqueiros, quando chegarem ao local e tendo que transportar feridos em macas, o farão sem problemas pela própria faixa rodoviária, que estará limpa de qualquer espécie de trânsito.

Eu não vos tenho dito que eles são mesmo ridículos? E pensam que somos trouxas? Será que assim pensam por não termos frequentado a UnI?

8 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Não me lembrei de ir hoje a Lisboa 'estrear' o túnel mas, palavra de honra, quando ouvi as tais disparatadas opiniões lembrei-me dos muitos que o Ruben menciona na Europa e por onde eu já passei.

É mesmo caso para pensar 'quem lhes pagará' para debitar tais enormidades?

Continuação de bom fim de semana.

[]
I.

Menina_marota disse...

Convenceste-me!
Vou a Lisboa 2ª. feira e estava receosa de passar no tunel, mas agora com a tua excelente narrativa, já não receio ir por lá.

Se me acontece alguma, nem sei que te faça! eheheh

Beijinhos e bom fim de semana ;)

Ruvasa disse...

Viva, I.!

É verdade!

Curiosamente, não os ouvi dizer fosse o que fosse em relação ao túnel que liga as imediações do Campo Pequeno com o Areeiro, já na zona da Gago Coutinho.

Por que terá sido? Já alguém a percorreu? ;-)

[]

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Menina!

Podes ir à vontade. Primeiro porque no túnel não podes exceder os 50km/h; depois, porque a inclinação é insignificante para qualquer aprendiz de automobilista; depois ainda, porque a iluminação é boa; finalmente, porque a sinalização também o é e o piso excelente e mais do que suficientemente largo para se circular à vontade.

É preciso não esquecer que também numa auto-estrada com cinquenta netros de largura em cada sentido, há acidentes. Onde há seres humanos a actuar, o acidente é sempre possível.

Boa viagem, Menina. Depois, conta.

Beijinhos

Ruben

Sulista disse...

Ora ainda bem que assim é, Ruben.

Tenho que ir ver isso um dia destes...
Estava à espera que passassem uns dias para o caso de cair...ehehehe


Beijinho

Ruvasa disse...

Viva, MJoão!

Foste prudente, sim senhor. Assim é que deve ser.

Agora que eu já fiscalizei o túnelzeco, já podes ir à confiança.

Beijinhos

Ruben

azurara disse...

"... Fernando Curto, socialista presidente da Associação Nacional dos Bombeiros Portugueses e também aluno da UnI..."

ESPECTÁCULO!!!

Ruvasa disse...

Viva, Agnelo!

Confrarias...

Abraço

Ruben