Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

1313. Desejo não satisfeito... ainda...

De como eu








gostaria de












con usted...


... e de como milhões








correriam a aplaudir-me,
se o fizesse!

...

14 comentários:

Camilo disse...

G-E-N-I-A-L!!!!!

NuNo_R disse...

Eu estaria lá com certeza...


abr...prof...

azurara disse...

Si, persupuesto!

Ruvasa disse...

Viva, Camilo!

Bem, genial... genial mesmo era um qualquer de nós estar a correr com o senhor em causa. Mas não ao lado... atrás dele e a conseguir que corresse mais do que ninguém.

Mas lá chegará o dia.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Nuno!

Pelos vistos, a multidão seria grande mesmo... enorme!

;-)

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Agnelo!

Sim, sim. Assim ou doutra forma qualquer. Desde que fosse para correr con el..

Abraço

Ruben

Isabel-F. disse...

fANTÁSTICO ....


ADOREI.


claro que estaria junto a aplaudir ...


beijinhos

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Claro que hei-de ver se encontro outras formas de o fazer...

;-)

Beijinhos

Ruben

Isabel Magalhães disse...

Amigo Ruben;

Para 'correr'... conte comigo.

:)))


Abraço

I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

E bem preciso de ajuda, pois que estou um bocado pesadote para corridas...

Abraço

Ruben

Ashera disse...

Clap, clap , clap
Logo eu que gosto tanto de Mozart.acabo por vir aplaudir esta maravilha que me soa divinamente!
Que divina sinfonia escuto,,
Então, vamos lá correr "as urnas" Penso que ainda haja tinta e papel,, isto se as arvores coitaditas , estão disposta a morrer a favor da Patria nossa...
Ai meus Deuses, a tua casa é um Palacio,,, obrigada
Mais beijos
http://ashera.multiply.com/

Ruvasa disse...

Meu bom e preclaro amigo

Nesta louca correria, nunca ninguém agarra ninguém. Todos correm na procura dos lugares cimeiros, onde só um, dois o ou três têm direito a prémio. Os outros... os outros... são muitos, mas não têm direito a nada.

Um grande abraço

AAlves

Ruvasa disse...

Viva, Ashera!

A tua alegria e boa disposição é contagiante. Confesso que tenho rido com os comentários.

Também ouço a sinfonia com muito agrado. Só temo que continue em allegro moderato, quando o que se pedia seria a Cavalaria Rusticana ou, melhor ainda, Os Canhões de Navarone.

Esperemos que lá venha o tempo. Claro que o canhões sê-lo-ão sempre e apenas em sentido figurativo...

Beijos também.

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Alves!

Cá por mim, Amigo, também não quero agarrar seja quem for, menos ainda o dito cujo.

O que muito apreciaria era oferecer-lhe, agora pelo Natal, uma vioagem sem retorno até ao Paraíso (não... não é esse...) das Maldivas ou, melhor ainda, da Micronésia.

Abraço, grande também.

Ruben