Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

domingo, 17 de fevereiro de 2008

1495. Afinal era só aprendiz!...







<- click, para ampliar ->














Segue
...

10 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Amigo Ruben;

Assim parece; andamos há dois anos a comprová-lo, mas essa anterior experiência de 40 anos deveria ser mais do que suficiente para nos levar a recusar TODA e QUALQUER forma de ditadura. Digo eu!


Abraço e bom domingo

I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Três anos, Isabel, três anos. Não alivie a carga dessa forma!...

Claro que não há, neste momento, condições para se entrar numa semelhante situação.

No entanto, é preciso ter em conta duas circunstâncias de muita importância:

1 - Os tiques estão todos lá, em alguns casos com maiores evidências de autoritarismo. Sabe é que há o autoritarismo de pantufas ou de botas de velho que era o do homem do Vimieiro e o de bota de sola grossa, para não dizer cardada, de Mussolini, para não ir mais longe. E o que é certo é que vejo muito mais afinidades com este último d que com o primeiro. No tipo de botas, evidentemente!

2 - Ao contrário do que muitas vezes se pensa e se diz, e... até talvez seja verdade, a memória dos povos, principalmente a do povo português, fraca, parece memória de velhos muito desmemoriados.

Abraço e bfs

Ruben

Marco Valle disse...

Estes governos já estão a precaver o Futuro.
Acho que é para isso que tem estado a dar cabo do ensino.
Se os miudos nada souberem de História, poderão cair nos erros do passado. Não sabendo Português, não percebem as leis nem que lhas chapem na cara e podem ser enganados com a maior sem vergonhice. Sem matemática poderão pagar cada vez mais impostos sem perceber como o dinheiro lhes foge ao fim do mês, estatisticas e números só servirão para os enganar.
No tempo de Salazar ao menos as pessoas tinham uma educação cuidada, tanto que tiveram cabeça para pensar por si e acabar com a tirania.
Podem dizer que foram eleitos com maioria e toda a legitimidade, mas não se esqueçam, também Hitler o foi.
Agora mais parecemos cordeiros em fila para o matador. Por muito que estes gajos nos façam, anuimos a tudo e nem um sacana destes ladrões vai pelo ar.

Ruvasa disse...

Viva, Marco!

Tudo bem por aí?

Tens razão. A minha esperança está em que, mais cedo ou mais tarde, a "tripulação desta "Bounty" acorde se revolte com acções e não apenas com palavras e resmungos de caé, atirando, legitimamente pelo voto, atire com estes "aspirantes a déspotas esclarecidos" pela borda fora.

E mais vale que seja cedo...

Beijinhos para aí e um abraço para ti

Alexandre

Isabel Magalhães disse...

É verdade, Ruben, três anos, e que muito têm custado a passar... mas eu estaria, certamente, a escrever e a pensar em mais 2 ou 3 coisas diferentes ao mesmo tempo. Como aliás é hábito. :)


[]

I.

Isabel-F. disse...

mas será que alguém ainda tem dúvidas?

a diferença é que naquela altura sabia-se que se estava numa ditatura e sabia-se com o que se contava ...

e agora, que estamos numa democracia ... como é que é???


beijinhos e boa semana

Ruvasa disse...

Viva, Isabel Magalhães!

É verdade, acontece.

[]

Ruben

Ruvasa disse...

Viva Isabel Filipe!

Pois e como dizes... como é que é?

Beijinhos e boa semana também para ti.

Ruben

Camilo disse...

Quando "apareceu" a maldita lei do tabaco, afirmei que...
NUNCA UMA DITADURA PROIBIU TANTO!
E é verdade.
Nunca a P.I.D.E. restringiu as necessidades do verdadeiro Povo Português.
Há energúmenos que me falam da "Licença de Isqueiro".
Pois, pois... mas havia fósforos...
A Licença de Isqueiro era para proteger a indústria Nacional.
Uma coisa que estes miasmas governamentais não fazem.
Quer dizer: protegem a indústria europeia em detrimento do que é nacional, artesanal, etc.
A ASAE, por exemplo, é para isso que serve.

Ruvasa disse...

Viva, Camilo!

Eu nem digo nada. Limito-me a transcrever o jornal... Caramba!

Abraço

Ruben