Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

1503. Não consegui resistir…


Um bom futuro
para quem tem 60 anos ou mais


Sabendo que seja com o PSD, com o PS ou com o CDS, Portugal terá um futuro negro nos próximos 30 anos, acautele esse mesmo futuro.

1.Convença os seus filhos a:

1.1. Nas próximas eleições votarem no BE, no PC e nos VERDES.

1.2. Logo em seguida a irem viver e trabalhar no estrangeiro.
(ajude-os no que puder para que eles consigam concretizar esse desígnio. Você já reformado, fica por cá).

2. As consequências são para os seus filhos e netos:

2.1. Daqui a 6 anos eles já terão de certeza uma boa situação financeira, os seus netos já se terão adaptado ao idioma e aos amigos do país que escolheram e frequentarão liceus e universidades eficientes.

2.2.Poderão todos adoptar a nacionalidade do país de acolhimento (Espanhol, Francês, Alemão, Sueco, etc.)

3. Estes 3 partidos de esquerda, uma vez "coligados", obterão uma maioria
absoluta e formarão governo (com sorte, com Louçã como 1º Ministro)

4. Para si que tem 60 anos ou mais:

Irá beneficiar durante cerca de 15 anos das políticas sociais dos partidos de esquerda: aumentos das reformas, cuidados médicos gratuitos em cada esquina, subsídios sociais, clínicas de luxo para a 3ª idade, etc..

5. Os membros do PS, do PSD e do CDS, sem os apoios do poder que lhes
proporcionam as sinecuras entrarão em situação de penúria e ou "se exportam" ou passam a fazer trabalho voluntário para os "seniores reformados"

6. Terão assim os membros do PS, do PSD e do CDS que vender as suas belas casas a preços irrisórios. E quem terá poder de compra para as adquirir? Os filhos emigrantes dos "Seniores Reformados, entretanto "bem de vida".

7. A banca e as grandes empresas serão nacionalizadas e sob a direcção de executivos oriundos dos partidos de esquerda, os seus trabalhadores terão ordenados fantásticos durante 5 anos e os empréstimos para compra de habitação passarão a ter juros super bonificados com spread zero.

Sob a “competente” gestão da Esquerda, toda a banca e as grandes empresas irão falir mas isso não é um problema: Serão comprados por espanhóis e outros europeus que tudo reorganizarão e começarão de novo a pagar bons salários aos seus trabalhadores.

8. Portugal passará pois a ser uma colónia de outros países europeus e com "centros de decisão" nesses países. O que na pratica não afecta a vida do dia a dia dos assalariados e permitirá aos pequenos comerciantes e industriais terem um mercado muito alargado.

9. E nós, que temos agora 60 anos ou mais, após 15 anos de vida regalada proporcionada pela politica de esquerda, já estamos com os pés para a cova. E teremos a vantagem de escolher o dia em que queremos “partir”, por força da conhecida política de eutanásia da esquerda. E “partiremos” na euforia de umas boas doses de cocaína comparticipada.

10. Por essa altura já teremos de novo a companhia dos nossos filhos que com as sua reformas "europeias" voltarão a Portugal para viver confortavelmente nas suas casas compradas baratas uns anos antes àquela gentinha do PS, do PSD e do CDS.
Este é que é um bom plano! Deite o do Sousa as urtigas!


IRMÃO SEXAGENÁRIO

VOTE ÚTIL,

VOTE EXTREMA ESQUERDA
...


Recebido por email,
de várias proveniências
...

26 comentários:

Camilo disse...

Amigo Ruben, eu cá não vou.
Fico por cá.
Sabe, fui "recambiado" para este sítio mal frequentado em Novembro de 1992, através dum tal "Gabinete de Emergência" criado pelo então PR Soares e 1º Ministro Cabbaco.
Desde então "p'ráqui estou"... esquecido, tal como 10 milhões de portugueses...
Repito: fico por cá.
AINDA TENHO FÉ NA BOMBA DE HIDROGÉNIO!!!

Orlando disse...

A brincar, a brincar, o macaco...

As pessoas esquecem-se de que a política cultural de José Sócrates é a mesma do Bloco de Esquerda, enquanto a política económica é a da alienação total dos interesses de Portugal ao estrangeiro. Nós já temos, de algum modo, o BE no poder em Portugal, em sincretismo com o neoliberalismo mais selvagem.

Ashera disse...

Xiiiii ahahah

Boa tarde amigo Ruben
O estrangeiro já não quer Portugueses, mas como agora as crianças vão nascer a Espanha pode ser que sendo Espanhois tenham melhor destino, as mães deviam regista-los por lá .-))

Quanto ao teu livro, lembrei-me que podias enviar um PDF para http://lulu.com a titulo experimental, envias como gostarias que ele ficasse e encomendas um para ver, a publicação é gratis :-)

Já agora deixo aqui um video :
http://videos.sapo.pt/fElhO4UswZzdduPAZNcc
Está na minha "Rua" também.
"Crimes normais em Democracia" diz a "BESTA" ahahah
Beijos e mais beijos

Isabel-F. disse...

hehehe...

está bem visto o texto ...

mas o futuro dos nossos jovens por cá não será bom de certeza ...

portanto o melhor será mesmo irem para fora ...


beijinhos

NuNo_R disse...

Boas...

Parece isnteressante a sugestão e os argumentos que a sustentam...


abr...prof...

obs: em relação à "cocaina comparticipada", o meu Amigo tem certeza?
É que se for verdade, aí para aí uns quantos que votariam de certeza... ehehe

Isabel Magalhães disse...

Amigo Ruben;

Bem postado. :)

A rir se dizem muitas verdades.


Abraço
I.

azurara disse...

Muito bem urdido.
E não tão irrealista quanto possa parecer a alguns. De resto, se estamos neste triste estado, a quem o devemos?

H. Sousa disse...

É, caro Ruben, no fundo estamos é cansados desta monótona sucessão de ideologias e tios que delas se servem para chegar, freudeanamente, ao poder. Podíamos viver tranquilamente se os «gajos» não tivessem em mente apenas o «sacar» e fossem para «lá» para servir a nação. Mas esse tempo parece que acabou, para mal dos nossos pecados.
Abraços

Ruvasa disse...

Viva, Camilo!

Caramba! Essa não é um bocado radical demais?

;-)

Um chuto no traseiro não é mais do que suficiente?;-)

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Orlando!

É bem verdade.

Mas carregar um pouco nas tintas, para escurecer o quadro, avivando os contrastes, talvez não seja má ideia.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Ashera!

Pois não. E, daí, não si...

De qualquer modo, já não são portugueses, mas espanhóis, melhor dito, badajosenses e uns tantos delatierradeningueenses...

No que toca ao livro, quando me meter nisso, logo se verá. O grande problema é a coragem para o partejamento. ;-)

Beijos

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Pelo caminho que as coisas levam, realmente só têm essa hipótese. Fazer fortuna lá fora e, depois, voltar ou não, consoante...

Afinal, que temos feito de há tanto tempo para cá, se não engrossar a diáspora?

Beijinhos

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Nuno_R!

Não tenho dúvidas, Nuno, não tenho mesmo dúvidas nenhumas...

;-)

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Isabel M!

Bem postado e bem apostado, hein?!...

;-)

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Agnelo!

Irrealista?!

Pragmático, amigo, pragmático, como eles tanto gostam de dizer...

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Henrique!

Para falar com toda a franqueza, as ideologias não me afectam muito, uma vez que por cá não se aplicam. O que me afecta, e cada vez mais, é a "tialhada".

E o nosso problema é que não podemos aplicar a receita do italianos, que não precisam de governo para singrarem na vida. Se pudéssemos, estaríamos no sétimo céu; assim estamos nos quintos dos infernos...

Abraço

Ruben

Eduardo P.L. disse...

Conte comigo!!!

Abçs e boa semana!

Ruvasa disse...

Viva, Eduardo!

Ok, está contado.

Abraço

Ruben

Isabel-F. disse...

Olá Ruben,

Espero que a tua ausência não seja devida a algum motivo grave ...

beijinhos e bom fim de semana

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Não, não é, felizmente.

Está tudo ok.

A excepção é vómito cada vez mais forte que me dá toda a situação que estamos a viver neste desgraçado país.

Isto tem ultrapassado tudo o que seria imaginável e o mal-estar é cada vez maior.

Daí, perco a vontade a tudo.

Um dia destes, volto a escrever mais qualquer coisa. Logo que me passe um pouco mais o terrível incómodo.

Por outro lado, tenho tido que dar mais apoio do que já era gabitual às minhas duas velhotas em permanência (tia com 89 anos e sogra com 85) e a alguns outros esporádicos.

Beijinho e bom fim de semana.

Ruben

Isabel-F. disse...

Oi Ruben,


Como te entendo e compreendo ...


folgo saber que está tudo bem.

bjs

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Beijinho

Ruben

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Ruben

Passei para um abraço!
E leio uma crônica, que se for verdadeira é muito triste!
Quando pensamos estar construindo uma nação, esperamos desfrutá-la junto com os nossos descendentes, pois foi para isso que lutamos toda uma vida, para contruir uma base sólida para as gerações vindouras!
Mesmo aqui no Brasil, com a roubalheira desbragada do PT e seus amigos do PMDB, do PDT, do PSB, do PC do B, etc, ainda acho que passado esse governo, teremos uma nova fase de prosperidade, pois o PT e o Lula não tiveram coragem de mexer na política econômica iniciada pelo Itamar Franco, que sucedeu Collor de Melo, e que FHC mateve intacta!
Não sou lulista, mas devo reconhecer que deixará o poder com perspctivas boas para as próximas gerações!
O que nos salva é a pobreza do restante da América Latina, mormente quando acabar o petróleo de Hugo Chaves na Venezuela!

Um grade abraço e sua previsão ou premonição é assustadora para a família portuguesa!

Ashera disse...

Agora..que o caminho não leva a parte alguma, dei comigo a pensar na encruzilhada da vida...
Acho que te inclui neste "Hilário"..
Caso contrario, não estaria aqui à procura de te ler em "novas de amanhã"...
Oxalá estejas bem em saude física, no mínimo...antes que nos devorem a psique já que todos os indícios assim nos ditam : O Povo está desunido !
Beijos amigo Ruben
Não te demores.

Ruvasa disse...

Viva, Luiz!

Sim, isto por aqui não está nada famoso, principalmente desde que governados por iletrados, iliteratos e até analfabetos funcionais, pesporrentes como só eles são capazes de ser, que, nada sabendo, julgam que tudo sabem, porque do que não sabem, nem desconfiam que existe.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Ashera!

Mesmo que tivesse vivido na época deles, confesso que teria admiração por eles mas jamais seria um deles. Falo dos "Vencidos da vida", da geração de 70.

No entanto, sou forçado a concluir que a vida em Portugal está transformada eu autêntico "carrefour", servido por auto-estradas de entrada, mas sem uma mera vielazita de saída.

Como diria o outro: We're done au steake...

É o fim da picada!...

Beijos

Ruben