Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

1728. Tertúlia virtual - "ÁGUA"

click, para ampliar
...

40 comentários:

Eduardo P L disse...

Parabéns Ruben!
Tocante e sensível esta sua participação na TERTÚLIA VIRTUAL.

Forte abraço

Isabel Magalhães disse...

Ruben;

Gosto muito da sua participação que me fez lembrar do poema

"água quase tudo
e cloreto de sódio."

Bj

I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Exactamente, amiga, exactamente.

Bj

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Eduardo!

Trata-se de uma derivação do poema de António Gedeão

LAGRIMA DE PRETA

Encontrei uma preta
que estava a chorar
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

Nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
E cloreto de sódio.

Abraço

Ruben

Maria Augusta disse...

Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras e esta tua postagem confirma isto. Tocante esta foto mostrando que a água além de nos permitir de viver, ajuda a aliviar nossas mágoas.
Um abraço.

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

Sim, a água é isso. A água lava tudo, tudo, tudo... menos a língua de certa gente (não é isso que diz a antiga canção brasileira?)

Abraço

Ruben

Isabel-F. disse...

Maravilhosa a tua participação ...

como diz e bem o maravilhoso poema de António Gedeão ...

adorei e parabéns pela escolha


beijinhos

disse...

Ruvasa... Com Tão Pouco....TANTO!...TUDO!
Parabéns, tocante!!
Um abraço e obrigada pelas visitas e comentários...

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Obrigado, amiga.
Tenho pena de que não tenhas participado. Com a tua arte, certamente que seria uma participação inesquecível.

Beijos

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Vi!

Obrigado, muito obrigado.

Nada a agradecer. Os comentários são suscitados pelo que vejo. E o que vejo é bom.

Beijos

Ruben

Ashera disse...

Imperdível !!!! *****
Beijos

Ruvasa disse...

Viva, Lurdes!

Obrigado. Ainda bem que gistaste.

Beijos

Ruben

Marcos Santos disse...

Essa é água que fere aquele que a exala e emociona aqueles que a vêem.

chicoelho disse...

Como diriamos aqui no Brasil sua postagem foi tiro e queda falou pouco e disse tudo.

Abç

Ruvasa disse...

Viva, Marcos!

Excelente frase!

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Chicoelho!

Por vezes acontece, não é? Pena é que não seja sempre. Por outro lado, porém, sempre caía na monotonia.

Abraço

Ruben

Denise disse...

Magnífico e forte, ótima música.
Obrigada pela visita.
Abraços

Sr Joao disse...

gosto muito do poema do gedeão

angel

claire disse...

Boa Ruvasa, já te conhecia dos comentários, fui América do sul mas nunca ao Brasil, sou tua vizinha ;-) e adoro a lágrima de preta, beijinhos.

Alice Salles disse...

Ah não poderia ter algo mais doído e mais profundo que as lágrimas dessa criança...
Adorei!
Obrigada pelo lindo comentário no meu blog!

Um abraço!

peri s.c. disse...

Alô, Ruben
Maravilha de postagem.
Ampla concisão.
abraço

Ruvasa disse...

Viva, Angel!

Sim, também gosto. É um belo poema. Belo como só podem ser as coisas simples, belo como só sabem fazer os artistas.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Claire!

Se és minha vizinha és boa pessoa. Todos os meus vizinhos o são. Porquê? É da proximidade... ;-)

Também eu andei pela América do Sul, mas não pelo Brasil, que está guardado para o fim.

Concordo. Os poemas de Gedeão são excelentes.

Aparece sempre.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Alice!

Ainda bem que gostou. A intenção era essa mesmo. Tocar as pessoas.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Peri!

A concisão é difícil, mas, por vezes, lá se consegue. é pena que não seja todos os dias.

Abraço transatlântico

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Denise!

Desculpe ter sa+ido da ordem, mas foi por pouco que não perdi de vista o seu comentário, que muito agradeço.

A música de fundo não é muito apropriada, embora linda. Trata-se do actual tema musical do blog, que deixei ficar por se tratar do inigualável Armstrong.

Abraço

Ruben

expressodalinha disse...

De uma eficácia poética total. As lágrimas são a água que sobra do sofrimento. Abraço.

H. Sousa disse...

Assim sendo, estamos a precisar de imensa água ...
É sempre bom lembrar, obrigado Ruben.

maria antunes disse...

Era bom que não houvesse motivos para deitar essa água. Gostei muito do seu post. Gosto do poema.

Bjos

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

Obrigado. Por vezes sai; de outras, não.

;-)

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Henrique!

Se estamos, amigo, se estamos!

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Maria Antunes!

Seria, sim.

Por outro lado, todavia, não teríamos a remissão dos pecados...

Abraço

Ruben

Al Kantara disse...

Parabéns. Uma imagem vale mil palavras e uma lágrima pode valer um mar de emoções...

ery roberto disse...

Ruben, a água de uma lágrima contem a essência da alma. é um pedaço líquido de toda nossa emoção. Fabulosa escolha. Parabéns.

Abraço.

Ery Roberto

Ruvasa disse...

Viva, Al!

E certamente que vale esse mar de emoções.

Obrigado.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Ery!

Diz bem, a essência da alma, a emoção liquefeita.

Obrigado.

Abraço

Ruben

Ventania disse...

Esqueci do post da água... fiquei chateada. Água é meu habitat.

Ruvasa disse...

Viva, Désirèe!

Foi pena, sim, porque a Désirée teria, com toda a certeza, contribuído com post de grande valor.

Em 15 de Setembro, porém, haverá outro tema.

Abraço

Ruben

Sara V. disse...

Excelente participação. Inteligente e sensível. Parabéns.

Sara

Ruvasa disse...

Viva, Sara!

Obrigado pela apreciação.

Abraço

Ruben