Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

1777. Macau, nove anos depois...

Casino Grand Lisboa, de Stanley Ho,
visto da Fortaleza do Monte,
por detrás de um canhão do séc. XVII
.

(foto revista "Volta ao Mundo", Setº 2008)


Visitei Macau pela primeira vez em Dezembro de 1999. Saí de lá 10 dias antes da cerimónia de devolução do território à China. A cidade era já muito bonita e bastante desenvolvida.

Voltei lá em 2006, depois de uma visita à China e as diferenças que encontrei eram inimagináveis.

Hoje, em 2008, Macau ultrapassou tudo o que seria considerado possível. Até a colossal Las Vegas foi deixada para trás, a perder de vista, em receitas provenienes do jogo. Os grandes potentados do casino americano em pleno deserto plantado vieram, em desfilada, para Macau. Com armas e bagagens.

No entanto, Stanley Ho, multimilionário de Macau e Hong-Kong (e de outras paragens também...) tem feito questão de manter o seu status, não deixando que, seja quem for, o ultrapasse. Macau é o seu território demarcado e ele assim o quer manter.

Como o velhinho Casino Lisboa já não chegasse e tivesse sido "engolido" pelos monstros que entretanto ali foram construídos - em direcção ao céu, que noutra já não dá, por falta de espaço - depois de ter erguido várias outras construções assinaláveis, mandou que se erguesse este colosso, que bateu tudo o que a musa antiga cantava. O novíssimo e espectacular casino Grand Lisboa.

Até onde deixarão os chineses que Macau chegue? Sim, porque se deixarem, nunca mais terá parança. E como aos chineses convém...

...

7 comentários:

Maria Augusta disse...

Não sabia que Macau havia se transformado em um paraíso do jogo e tão depressa. É incrível ver do que os chineses são capazes, dá até medo...
Um abraço e um bom fim de semana.

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

Não só de jogo. Também de prostituição.

A cidade era já terrível nesse aspecto, em 1999. Imagine-se agora.

Abraço

Ruben

Isabel Magalhães disse...

Ruben;

Antes da cerimónia de devolução do território à China senti vontade de lá ir mas esse ano de 1999 foi complicado, foi um ano de muito trabalho que não me permitiu grandes ausências e, depois, nunca calhou mas, de vez em quando, penso nisso.


Bj

I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Sim, foi pena, pois merece.

A propósito de muito trabalho: então e a exposição? Está em marcha?

Bj

Ruben

Ana disse...

E como os chineses têm paixão pelo jogo!

O casino Lisboa já era um mundo, calculo agora como as coisas não devem estar:))
Pois o espaço não é muito, não.

O que me fez lembrar que em Hong Kong já enterravam os mortos na vertical por causa da falta de espaço...

Abraço

Ruvasa disse...

Viva, Ana!

Ah, sim! Macau está superlotado, mas, em comparação com Hong-Khong, é quase um... deserto.

Abraço

Ruben

otogaz disse...

thanks...
bilgi@ozmarmaralpg.com