Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

sábado, 6 de setembro de 2008

1784. Ainda o Jardim da Estrela























A mesma Lisboa amena,
o mesmo Jardim da Estrela,
o mesmo Inverno,
o mesmo entardecer.

Agora, porém, especialmente para
a Isabel Filipe.
...

13 comentários:

Isabel-F. disse...

Obrigada ...

Adorei ...

espericalmente a terceira ... é uma beleza.


beijinhos

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

:)

Beijinho

Ruben

Francine Esqueda disse...

Olá Ruben!?
Como está o fim de semana!??
Lindas imagens... Tenho vontade de conhecer Portugal! Minha mãe foi a Lisboa e simplesmente amou! Disse que é tudo impecável e inesquecivel!
Hoje quero dizer obrigada por todos seus comentários! Bom demais compartilhar idéias e aprender um pouco mais com essas "viagens"!
Desculpe minha ausencia! A culpa é sempre desse tempo... que me falta, falta e falta... Estou correndo, trabalhando, estudando e pesquisando, mas sempre com saudades daqui e louca pra visitar os amigos!
Ótimo ter vc na minha lista virtual!
Beijos

Francine Esqueda disse...

Olá Ruben!?
Como está o fim de semana!??
Lindas imagens... Tenho vontade de conhecer Portugal! Minha mãe foi a Lisboa e simplesmente amou! Disse que é tudo impecável e inesquecivel!
Hoje quero dizer obrigada por todos seus comentários! Bom demais compartilhar idéias e aprender um pouco mais com essas "viagens"!
Desculpe minha ausencia! A culpa é sempre desse tempo... que me falta, falta e falta... Estou correndo, trabalhando, estudando e pesquisando, mas sempre com saudades daqui e louca pra visitar os amigos!
Ótimo ter vc na minha lista virtual!
Beijos

Maria Augusta disse...

A Isabel Filipe merece este belo presente, é uma artista de grande talento e um ser humano muito generoso.
Um bom domingo para você.

Ruvasa disse...

Viva, Francine!

O fim de semana cá vai, na melhor forma possível. Calmo.

Sua mãe é uma pessoa amável, para falar assim de Lisboa. Clarop que eu gosto muito de Lisboa. Mas sou suspeito, não é?

Não precisa de agradecer pelos comentários que faço no seu blog. Dá-me prazer frequentar o blog. Por isso comento.

Está desculpada a sua aus~encia. Port esta vez... ;-)

Beijos

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

Sim, ela merece. Bem, todos os meus blogamigos merecem uma atenção especial. Ela é a mais antiga. E viémos ambos do mesmo local: Moçambique, um território maravilhoso, que, esperamos, virá a ser ainda e de novo um país onde dê gosto viver.

Abraço

Ruben

expressodalinha disse...

Em tempos havia um leão no jardim da Estrela que, aliás, deu motivo ao filme "O Leão da Estrela"

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

Para lhe ser franco, não sei se ainda por lá está ou não.

Oarece impossível, mas do que mais me lembro do Jardim da Estrela dos meus tempos de 15 anos, era das incursões que fazíamos por lá no Verão à noite, durante as festas, para desfrutarmos as "diabruras" de um colega mais velho, para aí com 17 ou 18 anos, que punha os +oculos pretos e puxava de uma bengala de cego, para poder dar uns "apertões" nas sopeiras que por lá andavam. As que não traziam magala atrelado, que por sinal até eram poucas.

De uma ocasião, o gajo apalpou uma, ela virou-se para trás com a carteira em riste, brandida pela pega, ele baixou-se e eu apanhei com a carteira nas fuças cá com uma gana que nem queira saber!... Dali até casa, que, na altura, era em Queluz, fui sempore a "escainçar"...

Old better times!

Abraço

Ruben

Ana disse...

Lindíssimas as fotos do jardim.
Há muitos, muitos anos que lá não vou.

Uma pessoa tem tendência para se rir das mazelas alheias, não é?
Pois por isso me ri com a táctica dos óculos escuros do seu colega:))
...E com as consequências...

Abraço

Ruvasa disse...

Viva, Ana!

Obrigado pelo elogio.

Quanto ao resto, pois... Também eu me ri com a táctica...

Às consequências é que já não achei tanta piada!...

Abraço

Ruben

expressodalinha disse...

Os 17 anos são uma idade difícil!

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

Nós achávamos que não. Pelo contrário, divertíamo-nos um bocado. Claro, com alguns percalços pelo meio.

Bons tempos! (sem que isto signifique que gostasse de voltar atrás...)

Abraço

Ruben