Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

1825. Rapidinha e... espanhola

Dois agricultores, um português e um espanhol, conversam na fronteira:

- Qual é o tamanho da tua herdade? - pergunta o espanhol.

Responde o português:

- Para os padrões portugueses, o meu monte tem um tamanho razoável. Trezentos hectares. E a tua?

- Pois, olha, eu saio de casa de manhã, ligo o meu jipe e ao meio-dia ainda não percorri metade da minha propriedade.

- Sim... sim... Pobrecito! Sei o que isso é - diz o português compreensivo - também já tive um jipe espanhol... Só dão chatices...
...



Gentileza de Luísa Castanheira
...

6 comentários:

Odele Souza disse...

Vim cumprimentá-lo pelo prêmio blog Destak de Outubro de 2008 concedido por Isabel Filipe.
Um abraço.

Um Poema disse...

....

Vim, pela mão da Isabel Filipe, cumprimentá-lo pelo DESTAK.
E vim em boa hora, já que encontrei razão para uma boa gargalhada.

Um abraço

Isabel-F. disse...

hehehe ... está bem gira esta...


beijinhos

Ruvasa disse...

Viva, Odele Souza!

Abraço igual e obrigado pela visita, que espero se vá repetindo.

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Poema!

Obrigado pela visita que fico esperando se repita.

Ainda bem que gostou da piada. ;-)

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Já reparaste que me enviaste para cá visitas novas?

Claro, de um blog como o teu, tão frequentado, outra coisa não seria e esperar.

Beijinho

Ruben