Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

terça-feira, 27 de março de 2007

959. Haverá por aí alguém...





... que ainda não tenha percebido a que pântanos se referia António, Tu Erres! quando, em 2001, resolveu largar tudo e ir-se embora, a correr?
...

10 comentários:

O Raio disse...

É óbvio que o Guterres se referia ao pântano europeu que está a afundar o nosso país dando carcanhóis a alguns para estes ajudarem a arrumar o país.

Dantes, estes mânfios, seriam considerados culpados de alta-traição e condenados à morte, geralmente pelo pelatão de fuzilamento.

Agora são considerados idealistas e mal conseguem dizer qualquer coisa de interessante pois só conseguem falar em Europa, Europa e mais Europa.

Sulista disse...

...o Durão e o Cavaco fizeram o mesmo, cada um a seu tempo e consoante seus barcos afundados, respectivamente.

;-)

Ruvasa disse...

Viva, Raio!

O pântano não era o europeu, Raio. O pântano europeu não seria suficiente para que ele resolvesse bater com a porta. O pântano só poderia ser o nosso, este que se revelou - e continua - de então para cá.

Quanto à Europa, bem, serve de desculpa para muita coisa. Mas se não fosse ela, há muito já que o FMI estaria aí de novo a dar ordens, coisa em que a UE - valha-nos isso - não é tão acintosa.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, amiga MJoão!

Tens que começar a ler o que escrevo com mais vagar, não de raspão.

A resposta que tu dás nada tem que ver com o que eu escrevi. Ou, então, talvez tenha, sei lá!...

Quando eu escrevo
"Haverá por aí alguém que ainda não tenha percebido a que pântanos se referia António, Tu Erres! quando, em 2001, resolveu largar tudo e ir-se embora, a correr?" o que é que estou a dizer?

Não te parece que o que estou a evidenciar é que Guterres se apercebeu do pântano que vinha aí e não esteve para nele se atolar?

Nada tem isto que ver com fugas, que são de outro departamento.

Tem a ver, isso sim, com o que temos vivido ultimamente. Ele lá sabia do que falava.

E eu, no lugar dele, teria feito o mesmo. Duvido até que haja alguém que hoje venha dizer que não o faria também.

Maria João, o Guterres - goste-se dele ou não e eu nem era grande apreciador... - foi o último moicano do PS. Pensa bem e vê lá se não é assim.

Beijinho

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, outra vez, MJoão!

E, quanto mais tempo passar, mais perceberemos isso.

Outro beijinho

Ruben

Ruvasa disse...

Dear Ruben,

Eu percebi perfeitamente o que disseste e, continuo a dizer o mesmo!

NÃo retiro nem uma vírgula.

E esta hein? ;-)

Beijinho

Outra coisa e já que falas nisso:

Eu não tenho capacidade para depois de um dia cheio de trabalho ou num intervalo deste, ler os textos que tão bem escreves. São grandes demais para mim.

Tb não se coaduna com o meu sentido prático...sou e sempre fui, mt sintéctica.Já não mudo ;-)

Sorry se não gostas e outro beijinho

Sulista

Ruvasa disse...

Viva, MJoão!

Ok, era só para ter a certeza. Mantém lá à vontade.

Pensei é que, na verdade, não tinhas lido e por isso é que terias respondido bugalhos a alhos. Vejo, afinal, que não. Que a alfinetada era mesmo intencional.

Noto que não estarias em momento particularmente bom para ti, por qualquer razão que desconheço e com a qual nada tenho que ver, pelo que não devo meter-me.

É o que farei, ficando na expectativa de melhores dias e sempre com a preocupação de, em matéria política - até noutras, mas principalmente política - não te causar amofinações. Que é uma preocupação que tenho tido sempre presente ao longo destes anos que já temos de contactos, pelo que não iria agora modificá-la.

Quanto ao gostar que leias ou que não leias, que posso dizer-te? O que é que o meu gosto interessa para a questão? Já ultrapassei a idade em que certas coisas nos afligem muito.

A partir de certa altura, é viver cada dia por sua vez, um dia atrás de outro.

Beijinho amigo mesmo.

Ruben

Sulista disse...

Meu querido amigo Ruben,

tens razão no Guterres, foi o ultimo bastião do PS e fez coisas boas mas...e há sempre um mas...depois o próprio PS deu cabo de tudo e ele próprio deu à sola depois, sem estar minimamente ralado. O que, no minimo, é uma falta de respeito para como seu país, na medida em que já foi 1ºMinistro.
Um partido não devia ter ideologias diferentes, consoante tem um lider ou outro. Mas infelizmente é o que acontece :-(

Qd falei nos outros casos foi para acentuar q tds deram o fora, cada um à sua maneira, qd viram as coisas mal paradas.
Ou seja, assim, é fácil criticar.


Qualquer das formas, o que importa aqui te realçar é que eu sei que nos conhecemos há anos e eu continuo a gostar de ti :-) só que qd publicas posts politicos que vão totalm/ contra a minha percepção da realidade, 'choca-me' e reajo ;-)

Como é que tu queres que eu concorde contigo nestas coisas qd esta gente só me faz mal directamente? não tens visto o que publico lá no bloguito?..atão, é fácil de ver que mt gente está a sofrer mt economicamente devido a estes tipos tds!
É tudo a mesma cambada!


Qt a te ler, eu gosto e não disse o contrário. Só estava a fazer uma critica construtiva pq tenho à vontade contigo...as pessoas não lêem (por diversas razões) posts muito extensos nos Blogs.

Beijinho de Amizade!
e desculpa qq coisinha Ruben :-)

Ruvasa disse...

Viva, MJoão!

Não tens nada que pedir desculpa nem eu seja o que for a desculpar.

Acontece até que, como sabes, estamos de acordo, relativamente aos três políticos de que falaste, ou seja Guterres, Cavaco e Durão (este, para mim, foi uma desilusão, palavra! - e não digo mais nada, para não ter que dizer coisas que não quero...).

O que eu queria frisar era que o Guterres, quando falou no pântano, quase de certeza se referia a coisas destas e, provavelmente, a outras que ainda não terão surgido. Ele lá sabe do que é que que falava. Porque o pântano de que se queixava não era de "Europas" nem de "Oposições". Não faria sentido. Mas fazia e cada vez faz mais sentido que se estivesse a reportar ao próprio Governo e ao PS. Parece estar hoje mais do que evidenciado que era disso que ele falava.

Não te esqueças que foi no decurso do governo dele que aconteceram coisas de que apenas agora começámos a tomar algum conhecimento.

Mas, uma vez que a tua irritação parece estar mais aplacada, deixa-me que te diga mais qualquer coisa.

Quanto aos prejuízos que eles vos causam, estou bem a par deles. Tenho família que está no ensino e tem sofrido igualmente. E tem sido uma vergonha a perseguição que vos tem sido movida...

Mas não penses que são apenas vocês. Há muita gente. E, embora não querendo queixar-me muito, para que fiques com uma ideia sempre te digo o seguinte:
Aposentei-me há há 8 anos. Mesmo descontando a décalage que se verifica - por ter estado 6 ou 7 anos sem qualquer aumento até que os do activo tivessem sido aumentados em 10% sobre o que recebiam à data da minha aposentação, portanto, perdendo 10% do valor real do meu vencimento à data da aposentação - mesmo não tomando isso em linha de conta, em valores absolutos, tenho hoje pensão de valor inferior à que recebia em 1999.

Mais, amiga: este ano - sobre o que já me tinham lixado - decidiram tirar-me "apenas" 70 € (14 contos) do montante mensal da aposentação. Ou seja, já estava a ganhar menos do que em 1999; agora fiquei pior.

Prefiro não dizer mais nada.

Beijinho

Ruben

O Raio disse...

Viva Ruben,

Só agora reparei que tinhas respondido ao meu comentário.

"O pântano não era o europeu, Raio. O pântano europeu não seria suficiente para que ele resolvesse bater com a porta. O pântano só poderia ser o nosso, este que se revelou - e continua - de então para cá."

Portugal faz parte integrante da Grosse Europa. Não há pantanos nacionais, há é pantanos europeus.
Qualquer pantano dito nacional só sobrevive se não beliscar o pantano europeu.
E a Grosse Europa apoia activamente os pantanos nacionais que a defendem. Em Portugal e noutros países.

"Quanto à Europa, bem, serve de desculpa para muita coisa."

A Europa nunca serve de desculpa para nada. A regra é que o que é bom veio da Europa e o que é mau é nosso. Consegues indicar algum alto responsável português que belisque, mesmo ao de leve a União Europeia? O único de que me lembro foi o Bagão Félix e quando já estava de saída. E foi muito, mas mesmo muito ao de leve.

"Mas se não fosse ela, há muito já que o FMI estaria aí de novo a dar ordens, coisa em que a UE - valha-nos isso - não é tão acintosa."

Francamente... este é o argumento do Mário Soares que já disse por mais de uma vez que se não fosse o Euro já cá tinhamos o FMI...

O problema é que se não fosse o Euro não estariamos na situação em que estamos.

Além de que há uma diferença muito grande entre o Banco Central Europeu & Comissão Europeia e o FMI.

O FMI pode-se mandar ás malvas, a Malásia e a Argentina fizeram-nos e com bons resultados. A Europa não. Caso seja necessário até prega multas.

Um abraço