Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

quinta-feira, 29 de março de 2007

962. Mas, então, como é?


O INE afirma que a despesa pública aumentou.

Mas, então, como é?

Tantos cortes têm sido feitos, tantos serviços fechados e a despesa não cessa de aumentar?

Mas, afinal, quem é que tem razão? Estava tudo tão bem, a correr sobre rodas!...

Estará o INE a fazer oposição ao governo?

Será que o dinheiro está a ir todo para propaganda, tipo ALLGARVE, em que o governo se mostra grande especialista?

Ou será que vai para o "maneta", como dizia o outro?
...

13 comentários:

azurara disse...

Este é, para mim que sou um asno, um mistério insondável.
Cortes e mais cortes da despesa... fechos... encerramentos... e a despesa AUMENTA???

Deve estar a falhar-me alguma coisa...

O Raio disse...

A despesa publica aumentou por uma razão muito simples, velha como o Mundo, inflação!
É que é cada vez mais evidente de que os dados da inflação estão falsificados de forma a salvaguardar o falhanço do Euro.
A inflação real é muito superior à declarada e assim, apesar dos cortes no investimento e no congelamento dos salários dos funcionários públicos, como o grosso dos produtos subiu de preço, a despesa do Estado aumentou.
As das famílias é que não aumentou porque os ordenados não aumentaram. Passaram foi a viver pior...
Desgraças da adesão ao euro...

Isabel-F. disse...

... pois ... como eu não percebo nada disso ... acho que deve ir para o "maneta" ... como tudo o resto ....


bjs e bom fim de semana

Ruvasa disse...

Viva, Agnelo!

Está, sim, está a falhar qualquer coisa.

Mas não a si...

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Raio!

É capaz de ter razão.

Não sou especialista, razão por que não emito opinião sobre o assunto, nesses termos. Limito-me a constatar evidências.

E uma delas é a seguinte: se não tivesse havido esses cortes, esses congelamentos, essa sanha toda, onde estaríamos?

Parece razoável pensar que as coisas estão cada vez mais mal administradas.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

E o mais certo é qualquer dia aparecer por aí um "perneta", porque nestas coisas é sempre bom haver concorrência...

Beijinho

Ruben

Zé Lérias disse...

Vai todo pr'ó Maneta sim senhor.
A prótese que lhe puzeram custou, ao Estado, os olhos da cara!...

Ruvasa disse...

Viva, Zé!

Sim, essas próteses estão pela hora da norte.

Abraço

Ruben

Ricardo disse...

Caro Ruvasa,

Não sei onde retiraste a conclusão que a despesa pública aumentou. Apesar da despesa pública ter sido maior que o orçamentado a sua redução contribuiu em 60% para a redução do défice (não 80% como disse o Governo), sendo que 35% correspondem à despesa corrente primária (o restante deve-se à redução do investimento público).

O que deve ter feito confusão, e os ditos especialistas em economia dos jornais são peritos nisso, é que estava orçamentada uma redução maior. É claro, como diz o Raio, que a inflação ajuda a atingir este resultado. Houve redução do investimento e despesas com pessoal mas as prestações sociais custaram mais do que o orçamentado.

O problema dos títulos dos jornais é comparar a despesa pública não com as do ano anterior mas com o orçamentado e concluir que subiu. É verdade que a execução orçamental foi pior que o orçamentado na despesa pública compensada pelo aumento das receitas mas, mesmo assim, não houve um aumento em relação ao ano anterior (dados do INE).

Abraço,

Ruvasa disse...

Viva, Ricardo!

Não retirei conclusão de lado algum. Como não sou economista nem percebo nada dessa matéria - como, aliás, muitos especialistas...) - tenho que limitar-me a fazer fé do que leio como notícia. E foi assim que, tendo lido tal, vim perguntar como era.

Pelos vistos e não obstante o valor do que dizes, no que agora faço fé porque te tenho em boa conta, algo não corre bem mesmo, quando até o Tribunal de Contas passou ao ataque, Tribunal de Contas que, aliás e como é sabido, está nas mãos de um filiado socialista e, até há bem pouco tempo, um dos altos dirigentes do partido.

Sim, porque, embora referindo outros governos também, esses já estão julgados e condenados. O actual é que está ainda em processo de julgamento. Portanto...

Abraço

Ruben

Ricardo disse...

Viva,

Não li com atenção os dados do Tribunal de Contas mas parece que as despesas dos gabinetes ministeriais são absurdas. O porta-voz do PS disse que, mesmo assim, diminuíram as despesas globais com pessoal mas isso apenas torna a questão mais grave. A moralização é importante e não compreendo como assessores do PM recebem mais do que ele (não vou entrar na demagogia dos salários na função pública mas depende da função o que não é o caso, não é uma empresa pública nem uma direcção geral, são assessores).

Abraço,

P.S. A opinião definitiva só a tenho depois de ver os números com cuidado

Ricardo disse...

P.S. Também não sou economista. Não quero levar ninguém ao engano e, por isso, sou licenciado em economia uma vez que não pertenço - nem quero - à ordem ;)

Ruvasa disse...

Viva, Ricardo!

;-)

Abraço

Ruben