Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

1203. Avolumam-se as opiniões mais diversas...

... e os sinais são cada vez mais preocupantes para cada vez maior número de pessoas.

Agora é o
DISCURSO SOBRE O MEDO,
de Baptista-Bastos,
no Diário de Notícias.

Ora, quando todos confluem para determinado ponto e apenas um segue para outro, está toda a gente errada, excepto o dissonante?
...

2 comentários:

Sulista disse...

«O homem dissimula»...mas que mentira tão jucosa!! ;-)


Está tudo dito neste
seu parágrafo:

«atmosfera de temor, caucionada pelo desemprego, pelo trabalho precário, pelo custo da vida, pelo incentivo à delação, pelo desprezo com que se trata os nossos velhos, pela recusa da esperança, pelo sombrio horizonte do futuro, pelo ataque indiscriminado ao Serviço Nacional de Saúde, pelas obscenas desigualdades sociais não só traduzidas no desespero e na angústia quotidianas como pelas afrontosas reformas auferidas por "gestores" públicos - e mesmo privados. O medo cobre as situações que acabo de evocar. E esta "cultura" do PS não provém de linguagens intraduzíveis umas das outras: resulta de um conflito generalizado, aberto ou latente, mais ou menos violento nascido na década de 80, com o "cavaquismo".»


Mais palavras para quê?...angustia e revolta é o que sinto cada vez mais...


Bjs

Ruvasa disse...

Viva, MJoão!

"O homem dissimula, com o enfatuado das frases, o facto de que não dispõe de ideias de seu." - já agora, a frase completa, que é de morte...

Tudo isto existe,
tudo isto é triste,
tudo isto é fado...

Beijinhos

Ruben