Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

1264. Lá para as bandas da "Nueva Hispanyola"

Fidel Castro recuperou da doença e com muita ajuda lá foi discursar para mais de um milhão de cubanos na Praça da Revolução quando surgiu uma luz vinda do céu que se aproximou dele.

Era Jesus Cristo.

Fidel ajoelhou-se e pediu-lhe perdão por ter duvidado da sua existência, devido ao Marxismo.
Jesus segredou-lhe algo e "el grande comandante" dirigiu-se ao microfone e gritou para o público:

- Camaradas de revolução. Jesus Cristo afinal existe e quer dizer-lhes algo.

Fez pesado silêncio, enquanto Cristo pegava no microfone. Disse:

- Povo de Cuba, este homem com uma barba igual à minha, deu-vos o pão do conhecimento igual ao meu, não é verdade...?

E o povo exclamou:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiii....

Jesus continuou:

- ...é certo que eu multipliquei o pão para matar a fome aos pobres! Mas não é verdade também que este homem nventou as senhas racionadas para matar a fome dos pobres cubanos?

E o povo lá gritou:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiii....

Jesus prosseguiu:

- ...e não é verdade que este homem construiu hospitais e clínicas para curar os pobres, tal como eu os curei com milagres?

E o povo, entusiasmadíssimo, gritou:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiii....

Jesus insistiu:

- ...e não é verdade que este homem espalhou educação e conhecimento imposto ao povo, como eduquei os meus apóstolos?

E o povo, excitado, bramava:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiii....

Jesus disse:

- ...e não é verdade que sofreu muitas traições de camaradas de Miami, como eu sofri a traição de Judas?

E o povo, no cúmulo do delírio, ululou:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiii....Siiiiiiiiiiiiiiiiii....Siiiiiiiiiiiiiiiiii....

Então, Jesus rematou:

- Ah! ah! E por que esperam, então, para o crucificarem, caramba?!

Com beijinho, à Sheila
...

2 comentários:

Ashera disse...

Ahahahah
É por isto que o Engº Socartes fecha escolas e hospitais, por certo quer é crucificar o povo!
Gosto do teu humor :-))
Obrigada pela visita
Boa semana
Beijos

Ruvasa disse...

Viva, Ashera!

Beijos também para ti, amiga.

Ruben