Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

1297. Petição contra a mutilação genital feminina

Recebi um convite para assinar uma petição contra a mutilação genital feminina, que
consiste numa prática ancestral e de uma crueldade extrema contra mulheres, principalmente dos povos que habitam a extensíssima região africana que vai desde a faixa sub-saariana do continente até à parte oriental, com o Egipto a norte e a Tanzânia a sul.

Absolutamente de acordo com as razões que levaram à redacção da petição, hesitei, porém e durante algum, tempo, em subscrevê-la.

As razões que a tal hesitação me levaram, constam do email que enviei às autores da petição e que a seguir transcrevo:

Vivam!

Tenho estado a pensar seriamente se devo, ou não, assinar a petição. E tudo porquê, quando eu sou, sempre fui, e várias vezes já me pronunciei sobre o assunto, absolutamente contra a excisão clitoridiana?

Peço que me desculpem a franqueza, mas considero de extremo mau gosto e completamente gratuita para o fim em vista a exibição do vídeo.

Quando se tem razão, não é preciso chegar a estes extremos de falta de sensibilidade.

Por um lado, critica-se um acto de vandalismo praticado sobre a mulher; por outro, pratica-se um outro acto, também vândalo - se bem que não seja possível comparar um e outro - qual seja o de mostrar a excisão e nem por fotos, que seria já excessivo, mas, pior, por vídeo.

Ter-se razão é uma coisa; querer-se ter razão e não hesitar nos meios a utilizar para assinalar a razão que nos assiste, é ultrapassar os limites da decência.

O que é que se ganha com tal exibição? Não basta a explicação escrita daquilo em que consiste a excisão?

"A excisão feminina é o corte (amputação,ablação, extirpação) do clitóris - por vezes também dos lábios vaginais - com intenção de eliminar o prazer sexual da mulher. Provoca sérios riscos para a saúde da mulher, sendo uma prática particularmente dolorosa.

A excisão feminina - também conhecida por excisão clitoridiana e até circuncisão feminina - é uma tradição primitiva de povos, principalmente africanos, praticada numa faixa que, a sul do Sahara e desde o Atlântico, se estende até ao extremo oriental do continente, a Norte até ao Egipto e a sul até à Tanzânia".

E estava tudo dito.

Bom será que revejam essa vossa posição, que me parece despropositada e pouco condizente com os sãos princípios que se pretende defender.

Claro que vou assinar a petição, porque o valor em causa é bem mais valioso do que o assunto que abordo, mas não podia deixar de vos trazer o meu reparo.

Cumprimentos
Ruben V. Santos

Claro que acabei por subscrevê-la - porque se trata de uma tema que me tem sido muito caro e a que já me referi por diversas vezes - mas tenho que reafirmar que discordo frontalmente do método usado para impressionar as pessoas e levá-las a aderirem. Isto, independentemente de no site se advertir para a crueza das imagens e não ser necessário vê-las para a subscrição.

Para quem pretender aderir, aqui fica o endereço da petição.
Gentileza de JM Teles da Silva
...

4 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Ruben,

não só assinei, como vou levar a convocatória para o Drops!

Abçs

Ruvasa disse...

Viva, Eduardo!

Fez bem. E também fez bem em ter levado. Para o Drops ou para o Drag and Drop?

Trata-se de uma causa justíssima.

Abraço

Ruben

Isabel-F. disse...

Pelo tema que é irei assinar ...

em relação ao tal vídeo (que não irei ver) ... estou absolutamente de acordo com as tuas palavras ...

beijinhos

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Há coisas verdadeiramente escusadas. E esta é uma delas. Até por uma questão de decoro e de respeito pelo ser humano vítima daquele preciso acto.


Beijinhos

Ruben