Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

domingo, 13 de julho de 2008

1606. Ditadores < --- > democratas !

Para aceder à notícia completa, no "Jornal de Notícias", click na imagem.

De há uns tempos para cá, cada vez parecendo mais à vontade, o Governo sai-se com coisas destas, que são verdadeiramente inadmissíveis.


E já o faz - ou tenta fazê-lo - sem, ao menos, revelar o mínimo pudor. Quando mais não seja, para nos dar a ideia de que tem algum respeito pelos cidadãos, muito embora não o faça, como bem sabemos. Sentem-se os ocupantes do Poder tão à vontade, tão confortáveis já que nem se dão a esse trabalho de camuflagem. É à desfilada e à descarada, à la Gardère.

Porque do que estamos a falar é de um Big Brother monstruoso, ao nível da viatura privada de cada qual. A seguir em frente mais esta "habilidade" governativa, jamais qualquer um de nós, com carro, poderá ir seja aonde for, sem que esteja debaixo do olho atento de um tipo qualquer que não tem o mínimo direito democrático de meter o nariz na nossa vida.

Que treta é esta? Que pouca vergonha nos querem fazer engolir? Com que ditadura, camuflada de democracia, nos querem confrontar?

E ninguém se atreva a dizer que a intenção é boa, destinando-se a proteger a nossa propriedade ou a nossa integridade pessoal, em caso de furto e sei lá de que mais. Para isso só tenho uma primeira resposta:

- Vão para o diabo que vos carregue, cretinos! Vão gozar com quem vos fez! (peço desculpa pelo desbragamento da linguagem, mas, para coisas destas e gente que é capaz de as idealizar, isto é o mínimo que se lhes pode fazer).

Cheio de tipos "bem intencionados" está o Inferno!

* * *

Concedo - e, mesmo assim, apenas na última das últimas instâncias - que se crie o tal chip, com, pelo menos, estas condições de salvaguarda:

* que, para aceder à informação fornecida pelo chip seja necessário um código só conhecido pelo titular da viatura e, por conseguinte, só ele possa tomar conhecimento das informações contidas no chip, ou outrem, mediante sua prévia autorização formal;

* que se abra uma excepção, mediante autorizaçãpo a conceder por magistrado judicial, mas, mesmo assim, apenas no desenvolvimento de acções judiciais determinadas no decurso de processo criminal a correr em juízo.

Tudo o que não respeite estas duas vertentes é inconstitucional e abusivo, próprio de uma reles ditadura, de governantes sem gabarito para o serem.

Ora esta! Era o que mais faltava! O raio que vos parta! Começo a ficar saturado de ditadores travestidos de democratas!

Temos que começar a tratar de os pôr com dono. Urgentemente. Antes de que nos subjuguem, reduzindo-nos à condição de marionettes das suas indecentes filosofias totalitaristas.
...

2 comentários:

O Lopes disse...

E o distribuidor vai ser um dos amigalhaços do peito, tá-se mesmo a ver...
Li há pouco que o ACP sugere que sejam as seguradoras a pagar o dispositivo. Mas para quê, senhores, pergunto eu, se o segurado é quem paga sempre as alcavalas.

Ruvasa disse...

Viva, o Lopes!

Claro!

Pois. Claro que é sempre o mesmo a pagar.

Mas, para mim, o menos mau ainda é o pagamento. O pior é sermos obrigados a pagar, para sermos espiados. Isto não lembra ao diabo, mas lembrou a esta caterva de ilustres governantes que nos dá a honra de nos desrespeutarem com o maior à vontade e descaramento.

Abraço

Ruben