Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

1683. Aldeia Global Portuguesa (10) – Rio da Prata – América do Sul

O Rio de la Plata é o estuário conjunto de vários rios, de que avultam o Paraná e Uruguai, um delta de 290Km de largura.


“… foi primeiro avistado por uma expedição portuguesa, comandada por Vespucci…” (Amerigo Vespucci -Américo Vespúcio, a quem as Américas devem o nome-, natural de Florença, cosmógrafo, navegador e mercador, representante de armadores seus conterrâneos) “... , em 1501, e cartografado em 1511-1512, por João de Lisboa, que seria um dos companheiros de Magalhães em Marrocos".


"Anos mais tarde, um outro marinheiro português, João Dias Solís, navegou ao serviço de Espanha pelo estuário do rio da Prata acima, acreditando ter descoberto a passagem para o oceano mar do Sul’…”.


“Solís baptizou o pedaço de água em que se encontrava de ‘Mar Dulce’, mas não chegou a ter tempo de compreender que o seu ‘mar doce’ era apenas a foz de um sistema de rios…” (onde avultam o Paraná, o Uruguay e o Gualeguay) “… com origem nas serras centrais do Brasil: ao desembarcar na margem norte do estuário, foi morto e comido pelos índios charruas.


“… a expedição de Solís acreditou ter encontrado a passagem para o Pacífico; ilusão essa que só com Magalhães seria esclarecida”. “… um poema de Jorge Luís Borges”. “… um trecho de ‘Fundación Mítica de Buenos Aires’:


Y fué por este rio de sueñera y de barro

Que las proas vinieron a fundarme la patria?

Irian a los tumbos los barquitos pintados

Entre los camalotes de la corriente zaina.

Piensando bien las cosas, supondremos que el rio

era azulejo entoces como oriundo del cielo

com su estrellita roja para marcar el sitio

en que ayunó Juan Diaz y los indios lo comieron


O lugar aproximado desta refeição teria sido onde, quase dois séculos depois, Portugal iria erguer uma das mais bonitas cidades da América Latina, a Colónia del Sacramento, hoje Património da Humanidade…” (1)


“… Enquanto o navio-escola Sagres recolhe placidamente ao porto de Montevideu, o sol esconde-se prematuramente atrás do monte homónimo…”


“… o contrário, a cidade é que é homónima do monte. Segundo a tradição, foi a partir de uma exclamação de Magalhães que a capital do Uruguai foi baptizada.


Ao avistar uma figura de revelo proeminente, uma colina que indicava uma baía segura e ampla, o capitán-general terá avisado o piloto, em latim: Monte Video…” (Vejo um monte).


“… a armada das Molucas (expedição de Magalhães) passou duas semanas no estuário do Rio da Prata a explorar a possibilidade de existir uma passagem para o ‘outro’ mar. Mas Magalhães não tem grande fé nesta possibilidade: a água doce, a pouca profundidade e a diminuição da força das marés indicam claramente que ele se encontra na foz de um rio”.


(transcrições de “Nos passos de Magalhães”, de Gonçalo Cadilhe, Oficina do Livro)



(1) Colonia del Sacramento é uma cidade uruguaia. Tem origem na antiga cidade de Colónia do Santíssimo Sacramento, fundada por Manuel Lobo (governador da capitania do Rio de Janeiro, na segunda metade do séc. XVII) por instruções emanadas de Lisboa e que se manteve na posse dos portugueses por 97 anos (1680-1777). O preciso local fundado por Manuel Lobo é hoje o Centro Histórico, Património da Humanidade.


Click nas fotos, para ampliar

Legenda das fotos, de cima para baixo:
* América do Sul, vista do Espaço (Virtual Earth)
* Rio da Prata, visto do Espaço
(Virtual Earth)
*
Idem
* Planta da Colónia do Santíssimo Sacramento, 1762, azulejo
* "Baixa" de Montevideu, "
down town"
* Colonia del Sacramento - Portão de Armas
* Colonia de Sacramento - Rua dos Suspiros

..

....

10 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Gostei de ver e ler!
Forte abraço,

Ruvasa disse...

Viva, Eduardo!

Ora ainda bem que gostou.

Abraço igual

Ruben

Maria Augusta disse...

Que bom conhecer um pouco mais sobre a história deste país tão próximo do Brasil e no entanto tão pouco conhecido.
Excelente post!
Um abraço.

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

Já retribuí a visita. E quem ficou a ganhar com a troca... fui eu!

Abraço

Ruben

Isabel Magalhães disse...

Ruben;

Gostei imenso de ler e ver as fotos. Tenho mesmo que comprar o livro “Nos Passos de Magalhães”, que aliás já me tinha recomendado.

Um beijinho da Magalhânica blogamiga Isabel.

Ruvasa disse...

Viva, Magalhânica!

O livro não é nenhuma obra prima. Digamos que é um simples relato de uma viagem feita pelo autor, nos caminhos - alguns - trilhados também por Magalhães.

Mas é agradável e com informações de interesse, para que, como eu, sempre teve um especial carinho pelo nosso Fernão, que considero o maior português do seu tempo e.... arredores, até hoje, e bem assim para si, por motivos ainda mais ponderosos.

Beijinho à magalhânica nlogamiga

Ruben

SAM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SAM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SAM disse...

O Monte de Montevideo poderia ser uma profecia ao meu nascimento... Afinal de contas foi o primeiro local no mundo ao qual tive acesso e vontade não me falta para lá regressar um dia desses!

Ruvasa disse...

Viva, Sam!

Conheço uma boa parte da Argentina e outra boa também do Chile.

Do Uruguai e do Brasil, porém, ainda nada.

Há-de chegar o dia.

Abraço

Ruben