Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

1880. Tertúlia virtual - "Brasil"

Num primeiro relance,
Brasil é…
Portugal projectado no mundo,
com “estranho” sotaque,
linguajar de açúcar,
dengosa ginga,
melodia eterna,
poema de rima fácil,
enfim e
como preconizou Chico Buarque,
queira-se ou não se queira,
“um imenso Portugal”
(como as coisas estão por cá agora, melhor será que não…)


Mais pessoalmente,
o Brasil foi… é… será sempre
motivo de incontido orgulho
no contexto da
Aldeia Global Portuguesa
que, afinal,
mais não é do que a
Aldeia Global
tout court.


Se quiser aceder
a outras participações
na blogagem colectiva da
Tertúlia Virtual,
click
aqui.

...

42 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

viva a lingua portuguesa!

o factor q une os dois paises

Isabel Magalhães disse...

Sem dúvida, Ruben! sem dúvida! :)

E olhe que estamos em sintonia pois também escolhi o Chico Buarque, embora com outra abordagem, para particpar na Tertúlia virtual.

Um abraço.

I.

Isabel Magalhães disse...

Sem dúvida, Ruben! sem dúvida! :)

E olhe que estamos em sintonia pois também escolhi o Chico Buarque, embora com outra abordagem, para particpar na Tertúlia virtual.

Um abraço.

I.

Ruvasa disse...

Viva, Francisco!

Sim, a língua portuguesa deveria ser outro dos temas a abordar pela tertúlia.

Como dizia Fernando Pessoa, "a minha pátria é a língua portuguesa".

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Contra factos...

Como é que um escasso milhão de pessoas consegue dar origem ao que sabemos por esse mundo...

Claro que Chico Buarque se referia ao imenso Portugal, a título de o Brasil seguir o exemplo de Portugal, quando do 25 de Abril, mas se em relação a essa data, infelizmente, muito se tenha poerdido pelo caminho, o que conta é o reconhecimento de um brasileiro ilustre de que os bons exemplos têm que frutificar.

Abraço

Ruben

Eduardo P.L disse...

Muito feliz de participar dessa ALDEIA PORTUGUESA GLOBAL à que se refere, e por ter citado, como a Isabel, o meu colega de ginásio, Chico, que me dizia naquele tempo querer ser tão famoso a ponto de ter um sanduiche com seu nome, a exemplo do BAURU, criado por um garçon que tinha esse apelido. Virou muito mais do que um nome de sanduiche!

Obrigado por ter participado!

Forte abraço

Tony disse...

Bom dia, caro Amigo.
Estava em dívida para consigo.
Venho agora pagá-la e dizer que concordo consigo!

Um abraço de amizade.
Tony.

Georgia disse...

Portubrasil deveria ser o nome do Brasil. Nao dá para negar a terra que nos colonizou.

Um abraco

Ruvasa disse...

Viva, Tony!

Bem aparecido. É sempre um prazer tê-lo por cá.

Sabe que este post se inclui numa postagem colectiva, levada a efeito a 15 de cada mês? Pode constatar isso em tervirtual.blogspot.com/. I tema de hojne é "Brasil".

Abraço igual

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Georgia

Há senpre quem queira, mas desses não fala a História, não é, Amiga?

Abraço grande

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Eduardo!

O prazer de a integrar tem que ser todo nosso, caro Eduardo. Ambos, Brasil e Portugal, lhe deram ou estão dando projecção universal. E pelos bons motivos...

Abraço transatlântico.

Ruben

Jorge C. Reis disse...

Ruben

Hoje, como eu disse no meu blogue, estou a aprender muito sobre o Brasil pela mão dos brasileiros.
Mas também "sinto" o amor que nós portugueses temos àquele povo.
É bom saber isso

Abr
Jorge

james emanuel disse...

Como brasileiro também me orgulho muito de Portugal: um povo tão pragmático que não precisa de filósofos.

Um abraço.

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

É isso. É que, sabe, estamos condenados a entendermo-nos, aconteça o que acontecer.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, James!

Claro. Nem outra coisa eu esperaria.

Quanto ao pragmatismno, enfim! Mas, no que concerne à ausência de filósofos, nem de outro modo poderia ser. Ouvimos por aí cada filosofia!...

Abraço

Ruben

peri s.c. disse...

Ruben
Ótimo texto.
E a internet permite que estreitemos esses laços, uma maravilha.

abraço

Serena Flor disse...

Brasil e Portugal estão ligados pela alma e coração!
Parabéns pelo belo post!
Beijo e ótima semana.

Ery Roberto Corrêa disse...

Disseste tudo e da melhor forma (evocando Chico Buarque), Rubem, com monumental precisão. Abraço do lado de cá.

expressodalinha disse...

O facto de nos sentirmos muito ligados ao Brasil, nem sempre tem tido a devida correspondência, nem a cumplicidade política desejável. Falta transformar os afectos e as ligações sentimentais numa vivência coerente, em termos de assumção e posições na Aldeia Global... E não é fácil, visto que partilhamos blocos estratégicos diferentes. A ponte tem ainda muitas falhas e buracos!

Ruvasa disse...

Viva, Peri!

Mas, como diz o Jorge (Expresso da Linha) há ainda muitas falhas e buracos na ponte, o que é uma "vergonha", porque t+inhamos a obrigação das os termos tapado todos já.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Serena Flor!

Obrigado. Então, há que alargar a alma e engradecer o coração, não é assim?

Beijos iguais para si

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Ery!

Abraço também e igual.

Há que fortalecer laços.

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

Subscrevo inteiramente.

Abraço

Ruben

roserouge disse...

Viva, Ruvasa! Simples e conciso! É um imenso Portugal, mesmo. Bjs.

Ruvasa disse...

Viva, Roserouge!

E já viu o que é a língua portuguesa no mundo?

Bjs

Ruben

Ashera disse...

Amigo Ruben
Muitos parabéns pela originalidade...em poucas linhas tantas verdades, gostei de verdade!
Desta vez não participei , simplesmente porque não tenho tempo para quase nada, e apesar do dia não ter ainda acabo,tenho outros atrasos para resolver.
Lamento por mim , snif, snif
Estejas bem sempre

Beijos

Mena G disse...

Obrigada pelo comentário encorajador lá no meu canto.
Foi a 1ª vez que participei na Tertúlia, um bocado "às cegas";
é bom saber que agradou.
Por aqui escreveu-se muito bem sobre o Brasil, em Português de Portugal!

Ruvasa disse...

Viva, Lurdes!

Sempre amável, Amiga.

Beijos

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Mena G!

Mas foi uma bela participação.

Gostei tanto que jaá linkei o seu blog.

Abraço

Ruben

Alice Salles disse...

Ah Ruben!
Mas que encanto tua visão do nosso Brasilzão de enlouquecer e apaixonar cegamente tantos....

Beijos para você!

Ruvasa disse...

Viva, querida Alice!

Obrigado.

Beijos para si também. Iguais.

Ruben

Meire disse...

Meire

Só- Poesias e outros itens disse...

Ruvasa, adorei sua criativa participação. O Tertúlia nos fornece pontos de vistas interessantes sobre um mesmo assunto.

Parabéns.


JU Gioli

Al Kantara disse...

Boa, Ruben. Concordo consigo. Para mim, brasileiro é português condimentado...

Ruvasa disse...

Viva, Ju!

Vindo de si, esse comentário é um cumprimento que não posso ignorar. Obrigado.

Abraço amigo

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Al!

Boa imagem! Faz-me lembrar a que uso para designar os italianos: portugueses cantantes.

São os dois povos em que mais revejo os portugueses. Curiosamente, gosto dos espanhóis, mas não lhes encontro qualquer semelhança connosco ou vive-versa.

Abraço

Ruben

Francine Esqueda disse...

Ruben!!!!
Que bom que eu tambem concordo contigo! Valeu o texto!
Um super beijo brasileiro e obrigada pela simpática visita!
abraços

Ruvasa disse...

Viva, Francine!

É sempre um przaer visitá-la, Amiga.

Beijinho para si também.

Ruben

Claire disse...

Olha! estão todos dacordo:-)))beijinho

Ruvasa disse...

Viva, Claire!

Se estão, é porque é verdade, não?

Beijinho igual

Ruben

Ruvasa disse...

Olá

Como percebeu não me senti à vontade para abordar o tema Brasil, mas o proximo vou tentar estar lá...

Adorei as palavras: Linguajar de açúcar, dengosa ginga, melodia eterna...

Para quem como eu conhece tão pouco faz sentido além do calor que se sente por aqui.

Um Abraço

Célia

Ruvasa disse...

Viva, Célia!

Na verdade, estranhei a sua ausência, mas meti-me a supor que teria as suas razões, não me cabendo estar a averiguar quais seriam.

Pelo que diz, estará por aí, nesse "imenso Portugal tropical", portanto, fugindo aos rigores invernosos que por aqui, em matéria de frio, muito se têm feito sentir.

Boas férias e aproveite que, por auqi, como disse, isto está mesmo bom para... fugir para aí.

Abraço igual

Ruben