Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

sábado, 14 de março de 2009

2046. Tertúlia virtual - "Desejo"












Somos um objecto, na paixão,

totalmente submissos,

sem poder prever os golpes que sofremos;

aí reside a grandeza, a loucura, o assombro da paixão.


Para mim, o desejo só pode ter lugar entre o masculino e o feminino,

entre sexos diferentes.


O outro desejo é um
autodesejo,

é, para mim,

como que o prolongamento da prática masturbatória do homem ou da mulher.


O esplendor da paixão,

a sua imensidade,o seu sofrimento, o seu inferno,

reside no facto de só poder verificar-se entre géneros irreconciliáveis,

o masculino e o feminino.


Tanto a paixão como o desejo.

Os casais homossexuais são muito mais estáveis

do que os casais heterossexuais,

porque na homosexualidade

há uma prática simples e cómoda do desejo.


A prática heterossexual é ainda selvagem,

é ainda a floresta do desejo.


Na prática homossexual não creio que exista

esse fenómeno de posse que existe na heterossexual.


Na prática homossexual existe

uma espécie de intermutabilidade do prazer,

as pessoas nunca pertencem na homossexualidade

como pertencem na heterossexualidade.


É um inferno não se poder
escapar ao desejo de uma pessoa,

é a isso que eu chamo, quando a mim,

o esplendor da heterossexualidade.


Marguerite Duras

(1914 –1996)













Click nas imagens, para ampliar
...

33 comentários:

Maria Augusta disse...

Concordo que o desejo é o princípio motor da vida, afinal somos todos frutos do desejo, não é mesmo?
Abraços e um bom domingo.

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

Na verdade. Aliás, a cada qual dos desejos referidos, a sua verdade.

Abraço

Ruben

Eduardo P.L disse...

Ruben,

saudades!
Parabéns por mais essa brilhante participação na Tertulia. Esgotou o tema! Desejo para todos os gostos!

Forte abraço e apareça de quando em quando, andas muito sumido!

peri s.c. disse...

Ruvasa
Gostei muito das " duas tragédias ", uma verdade.
abraço

expressodalinha disse...

Tenho algumas dúvidas quanto a afirmações da senhora. Em todo o caso, vamos de boudoir em boudoir!
Abraço.

Ruvasa disse...

Viva, Eduardo!

Tem razão, ando fora. Não consigo acudir a todo o lado.

Agora, aderi por inteiro a um Movimento de Cidadania. Portugal precisa disso, mais do que pão para a boca.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Pery!

Pois, verdade indesmentível, não é?

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

De acordo, mas não é da dúvida que nasce o conhecimento mais real?

Abraço

Ruben

disse...

Caro Ruvasa...Todas as citações são verdades...mas esta...
"Somos um objecto, na paixão,
totalmente submissos,
sem poder prever os golpes que sofremos;
aí reside a grandeza, a loucura, o assombro da paixão"...sabemos é de arrepiar... pobre de quem não a sentiu!!!
muito bom!

Ruvasa disse...

Olá, Vi!

Sem dúvida, amiga, sem dúvida!

Obrigado pela visita.

Abraço

Ruben

Christi... disse...

Diferente, visões polêmicas, a liberdade de termos esse debate no Tertúlia que é incrível, lermos as diversas opiniões, o desejo do livre.

Lindo domingo pra ti.

Chris

erupção_do_ser disse...

enrte subjectividades, cada um dá ser ao seu desejo, não deixamos de poder reflectir todos juntos... Margaret Dumas, deixa-nos na indiferença dos sexos e na diferença das escolhas.
Um abraço

Ruvasa disse...

Viva, Christi!

Exactamente. A liberdade do debate, o dese4jo de o ser.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Erupção!

E náo é de e pelas subjectividades que a Humanidade vive?

Abraço

Ruben

Maria de Fátima disse...

a MD sempre contumndente e provocadora e senhora de uma palvra firme sobre o desejo como só ela

Ery Roberto Correa disse...

Ruben,

Marguerite Duras, faz a gente pensar muito a respeito de tudo que envolve esta poesia, principalmente este aspecto importante do desejo querer sobrepujar a liberdade.

Muito bom. viva! Gostei.

António Oliveira disse...

Ó Ruben, misturar reformados a prestações com remédios do Pinto da Costa e coisas murchas, órfãs do desejo, é muito forte para um dia de quase verão.
Gosto da Marguerite Duras, embora tivesse andado arredada das coisas rijas. Palavras dela.
Bom post.

nilda disse...

Desejo e mais desejo,só mesmo o Tertúlia pra nos emaranharmos no desejo de nos conhecermos com postagens tão diferenciadas num mesmo desejo.
Beijoca.
Nilda.
http://meucantin5.blogspot.com/

Ruvasa disse...

Viva, Maria de Fátima!

Sim, maior provocadora seria difícil encontrar. E om pontaria certeira também.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Ery!

Marguerite Duras tinha o condão de não se furtar a afirmar-se sem peias. Pena é que o social e conjunturalmente correcto evite que tantos outros lhe sigamn o exemplo.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, António Oliveira!

É, a vida tem destas coisas...

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Nilda!

Sim, tal como o sonho, também o desejo cmanda a vida.

Beijo igual

Ruben

Luis Bento disse...

Grande verdade... o desejo anda "louco" em busca do seu objecto e quando o alcança morre...

Compondo o olhar ... disse...

desejo, desejos, e mais desejos.. quem não os tem??? não importa q sejam impossiveis ou atingiveis...são desejos... nossos desejos!! bela participação desta blogagem coletiva!!!!

abraços

Ashera disse...

Venho apresentar o meu pedido de desculpas pela minha falta aos dias 15 na Tertúlia virtual.
Desde Janeiro do corrente ano que a minha vida começou a sofrer alterações significativas.
Perdi os dias, mas a eles voltarei brevemente.
Saudações carinhosas
Obrigada meu doce amigo Ruben
Ashera

Conceição Duarte disse...

Ruvasa, muito lindo tudo que lí por aqui... Difícil, como é a vida! Escolhas, desejos, caminhos, opções... Mas sempre os desejos.
Um beijo grande, e obrigada pela sua visita que só me alegra e enriquece.
COn

Ruvasa disse...

Viva, Luís!

Pois... não se pode ter tudo em simultâneo.

Sol na eira e chuva no nabal ou comer o bolo e continuar com ele intacto...

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Lurdes!

Tu não perdes os dias; quando muito eles é que te perdem.

Beijos

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Compondo o olhar!

Uma vez atingidos, morrem, não é? Então, nem se pode dizer que o oior inimigo de um desejo é a sua satisfação.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Conceição!

É sempre um prazer imenso contactar contigo, amiga.

Beijo igual

Ruben

Blog do Beagle disse...

Teoria superada, não acha? Não sou homosexual, mas pelo que já li e já em inteirei do assunto, o desejo é idêntico ou maior. O medo da perda é maior do que entre os hetero... Para pensarmos. Elza

Isabel Magalhães disse...

Ruben;

Marguerite Duras! Boa escolha! ;)

Acredita que estou a começar agora a 'ronda' da Tertúlia? Bom, mas como diz o outro: "Mais vale tarde do que mais tarde"!

Um blogabraço.

I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Sabe, há muito que não concorde com a Marguerite Duras, mas, que quer, eu concordo.

Igual

Ruben