Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

terça-feira, 9 de junho de 2009

2290. Carta para a Segurança Social

Instituto de Segurança Social

...


Assunto:

Complemento solidário para idosos

Resposta à carta nº 00000000, de 00 Maio,

que comunicava o indeferimento do pedido de atribuição do complemento em epígrafe,

com a alegação de que o agregado familiar de uma das duas filhas

excede os limites previstos para a atribuição.


2009 Junho 08


Exmos Senhores,


Venho junto de VVExas discordar do indeferimento do meu pedido de concessão do Complemento Solidário para Idosos, pelas razões seguintes:


1. Tal como tenho a obrigação de considerar o Estado Português pessoa de bem, o que efectivamente faço, o Estado Português tem o dever de me considerar pessoa individual, com a dignidade devida a qualquer cidadão normal, de corpo inteiro, não me menorizando em função da idade, por me colocar, contra o meu desejo, dependente da boa vontade ou caridade seja de quem for, ainda que de meus familiares se trate.

Eu sou eu, um indivíduo, personalizado, independente de meus familiares, que são outras individualidades, diversas da minha pessoa, e relativamente a quem não devo estar em posição de subserviência, de mão estendida.


2. Está-me atribuída a pensão social do montante de 3.323,20 € (243,33/mês).


Para além disso,


3. A filha com quem vivo tem como único rendimento pensão de sobrevivência do montante mensal de 350,00€, como está provado no processo, e a outra filha tem pensão de aposentação de 420,00€, como também provado.


É isto que faço sobressair para ser considerado por VVExas. Decidirão como melhor entendam, já se vê. Terei que conformnar-me, sei-o.


Apresento cumprimentos


(a) cidadã portuguesa que gostaria de não ser tratada como imbecil e incapaz, apenas por que tem 85 anos de idade e é pobre.
...

6 comentários:

Jorge C. Reis disse...

Um quadro que, infelizmente, é mais frequente do que se imagina.
Obrigado pela denúncia.
Vá em frente Amigo e já agora... "traga outro amigo também".
Abraço
jorge

Isabel Magalhães disse...

Ruben;


Bem-haja pela denúncia.

Saberá, por acaso, em que governo foi aprovada essa 'maravilhosa' lei?

Abraço

I.

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

Obrigado pela visita e pelo comentário. As coisas atingiram um grau tal, que não é mais possível calar seja o que for.

Abraço

Ruben

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Então por quem poderia ter sido? Pelo excelso Sócrates, é bom de ver!

Não se recorda de, aqui há uns meses atrás, o homem ter andado a apregoar o excelso solidário que é para com velhotes de mais de 80 anos?

É isto, esta pepineira, que sujeita as pessoas, nos últimos dos últimos anos de vida, à boa vontade alheia, de familiares que até poderão ser filhos e/ou genros sem princípios que nada queiram saber deles.

Esta é a última das ignomínias que podem ser feitas a alguém, no decurso da respectiva vida.

Porcaria de solidariedade de Estado, à la mode socialiste-socretine...

Abraço

Ruben

Jorge C. Reis disse...

Ruben
Tem toda a razão. Subscrevo inteiramente o que escreveu.
Eu também não sei calar-me.
Veja, se tiver tempo, a minha "comemoração" do 25 de Abril aqui:

http://www.pontoblogue.com/2009/04/velhinha-e-o-monstro-uma-historia-real.html

Abraço
Jorge

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

Safa! Essa é pior, bem pior, caramba!

Há certos miseráveis que, palavra de honra, meu amigo, só há chapada!

Abraço

Ruben