Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

domingo, 11 de maio de 2008

1553. O camarada do "excepcional"

Camarada Almeida Santos!

Estou consigo! Definitivamente, estou consigo!

Aliás, já estava consigo sempre que me lembrava do seu justificado receio de que o país ficasse cortado ao meio, se a Al Qaeda ou outra organização de benemerência, destruísse uma das pontes sobre o Tejo, precisamente a que ligaria Lisboa ao aeroporto de "Jamais" que, afinal, é de "Toujours"...

Agora, porém, estou ainda mais, se possível...

Estarei, pois, consigo... per omnia saecula saeculorum!

Já agora... (Do you remember, comrade?)

* * *

Mas estarei mais ainda, sempre que rememore os extraordinários (eles também) discursos que o camarada fez em Moçambique, na qualidade de Ministro da pasta da Coordenação Inter-Territorial, principalmente o do jardim da casa do Governador do Distrito da Beira.

Inolvidável!

Ainda hoje, 34 anos após, sempre que o recordo, enchem-se-me os olhos de lágrimas de comoção, por saber que, nesse mesmo dia, os seus haveres - e os de uns quantos familiares e amigos - tinham já sido ou estavam a ser postos a salvo, com toda a certeza.

Cada vez que recordo o "ênfase" do seu discurso de então! Como foi que disse, como foi, ora deixa cá relembrar:

- É com todo o ênfase que vos digo, portugueses, deixem-se ficar por cá, não se vão embora, porque posso garantir-vos que tudo correrá bem. Estamos a tomar todas as medidas necessárias nesse sentido.
(poderão falhar uma ou outra vírgula, mas o teor e o conteúdo são integralmente estes)
.


Ai aquele ênfase, camarada, ai aquele ênfase!

* * *

Mas, voltemos à substância do assunto de hoje...

Quanto à sua excelente afirmação de que Sousa está a ser um primeiro-ministro excepcional, como vinha dizendo, estou consigo. E vou mesmo mais longe, muito mais longe, aliás.

Em minha opinião, o dito Sousa está a ser mais do que excepcional. Está a ser de excepção. Jamais tínhamos tido um "primêro" de tal quilate! Fomos todos apanhados de supetão. E andamos a rezar a todos os santinhos para que, logo que nos vejamos privados do "excepcional", não venha outro igual... ou simplesmente parecido. É que, caramba!, não nos temos portado muito bem, é certo, mas também não merecíamos tão dura pena!...

O homem, porém, não é apenas de excepção, o que já seria muito. Não! Para o classificarmos com justiça, teremos que ir mais longe ainda, talvez para lá da própria
Taprobana. É que ele já nem é excepcional, nem sequer de excepção. Ultrapassou tudo isso. É já de urgente "estado de excepção"!

Sim, se fosse em outro país qualquer, vulgar de Lineu, que se prezasse, a acção do seu camarada Sousa tinha já dado ocasião à instauração do estado de excepção, desde o Rio Minho à Ria Formosa.

Como vocês são moderados, simples, comedidos, humildes e verdadeiros nas jactâncias!

Se não existissem, teriam que ser inventados... Mas, por outro lado, quem é que teria imaginação suficiente para tal invenção?...

Nadie podría vivir en este país sin vosotros! Esta es la más pura verdad, coño!
...

11 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Ruben;

Também me detive a ler toda a entrevista e também pasmei e me interroguei como é possível que alguém - 'alguém', não um vulgar cliente da 'tasca da esquina' - possa dizer que este PM é excepcional? Andam a 'gozar com a tropa', ou quê? Só pode...! E lá estou eu a pensar outra vez que não vivo, de certeza,no mesmo Portugal que o sr sousa e sus muchachos...


bj

I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Pasmou a Isabel e terá pasmado quem não conheça o camarada Almeida Santos.

Não pasmei eu nem certamente pasmaram mais uns quantos como eu que o conhecem de há muitos anos e de outros carnavais.

É que aqui não se trata de problema que possa ser detectado em qualquer tratado de gerontologia. Isto já vem de há imensos anos. Do meu conhecimento, de há 38 a 40 anos. Ou mais... Portanto, já vê.

bj

Ruben

Camilo disse...

Jamais, jamais, jamais...
me arrependerei dos nomes que lhe gritei -a ele e ao Costa Gomes- no aeroporto, em Luanda.

Ruvasa disse...

Viva, Camilo!

Pois olhe que eu nem me dei a esse trabalho...

Acho que ele próprio se classificou e classifica, com a "obra" que deixou e as afirmações que continua a fazer...

Abraço

Ruben

Mariz disse...

Ruben,acredito que muitos - tal como vc - se sintam lesados. Pessoalmente, nunca estive em África e não penso lá ir - sentires...não se discutem.
Quanto ao personagem em questão ou a outros tais, que servem tantos "desgostos", apenas me cabe dizer que "TUDO SE PAGA AQUI"! PENSE NISSO E CONTENTE(M)-SE! - mas não se regozigem... aí seria pior a emenda que o soneto.
O homem, já perdeu por exemplo, um filho, que se atirou de um andar altíssimo...e morreu, claro. E outras coisas quer a ele ou a outros, se sucederão. Ninguém é regido pelas Leis dos homens...essas por vezes, são bem menores/menos pesadas que A OUTRA! - AQUELA QUE NUNCA DORME!
É por isso que eu descanso aí e não me preocupo...apenas me indigno - por vezes.
Abraço por solidariedade.
ESPAVO!
Mariz

Ruvasa disse...

Viva, Mariz!

A parte do sofrimento familiar dele é, quanto a mim, outro departamento que não cuido. Apenas lamento profundamente o sucedido porque a morte de alguém é sempre uma tragédia.

Quanto ao resto, renovo tudo o que disse e até o que não disse, apenas porque não disponho de provas. Tendo atingido o ponto de saturação, não tenho mesmo paciência para aturar coisas "destas".

Abraço

Ruben

Camilo disse...

Para Mariz...
O pior de tudo... é quando se MENTE conscientemente na defesa dos interesses partidários (e, quiçá, pessoais), como foi o caso.
E, claro, as vítimas que essa MENTIRA deixa pelo caminho.
Quanto à perda da filha, já um dia o disse (referindo-me a este pulha):
DEUS NÃO DORME!
Já a minha querida Mãe me dizia quando eu me portava mal:
-OLHA QUE DEUS CASTIGA SEM PAU NEM PEDRA!
(Mas, infelizmente, ATÉ a Justiça Divina, para os portugueses, chega tarde)...

mariz disse...

Salvé!
Peço perdão a ambos, mas ensinou-me a vida - e o propósito que há 10 anos abracei - que "não devemos apontar o dedo a ninguém". Tivemos um testemunho vivo disso e não foi nenhum personagem de ficção, e para quem não se lembre essa criatura chamava-se Jesus!
Óbviamente que não estou a ser demagoga, ou cristãzinha de trazer por casa, ou beata falsa, ao ponto de pensar que possamos ser como Ele, ou morrer como Ele e sofrer na pele o que Ele sofreu...mas é o único exemplo que nos deveria servir a todos! Porque foi o seu exemplo também que vem originando tantas questões, ao ponto do mundo se guerrear.
Para quê alimentar ódiozinhos de estimação, passados que foram tantos anos e ainda se fala disso, como se fosse ontem?! o que não se falaria, sobre as atrocidades das guerras, holocaustos...por exemplo - para exagerar um pouco. Todos erramos! eu sei que uns abusam...mas não há ninguém que possa atirar a primeira pedra! E eu de facto não sou monja, nem santa,nem nada que se pareça...tento é melhorar-me como pessoa a cada dia que passa. Senão de que valeria escrever por vezes, assuntos para os quais já nem estou aí sequer?! Eu também já fui espoliada, também já berrei, blasfemei, mas depois cheguei á conclusão que isso só me fazia mal e me colocava num patamar de acidez, de corrosão, de um mau estar tal, que há mínima situação começava a atirar em todas as direcções! Creiam que não estou a tentar doutriná-los, longe de mim, até porque como já disse e repito, não mais alinho em doutrinas retrógradas, castradoras, obsoletas, que não ensinam, ou traçam para a humanidade um caminho de justiça e de Paz. Apela-se ao amor, mas cada vez mais as pessoas se desumanizam...apela-se á paciência, á compreensão, á generosidade... mas são as próprias doutrinas que incentivam consciente ou inconscientemente a matar, a maltratar o próximo, numa implacável deterioração de valores, como se o SER HUMANO, fosse algo desprezível e portanto a ser exterminado...
Passei informando-me, por quase todas essas religiões (religarae) a fim de perceber o que diziam ao ponto de se gladiarem pelo mesmo Deus/Alá/Jeová/Brahama etc. cheguei á conclusão que todas dizem o mesmo mas por outras palavras...porém, ninguém segue o que lá vem escrito.
Pergunto: para quê então entrar numa guerra...fria?! - Esta mesmo, a das nacionalizações?! á pressa e do salve-se quem puder...eu sei, também me indignei...mas já passou!
Eu sou solidária convosco, já disse, mas também já disse, que ninguém é imune á outra Lei. E essa é implacável!
Virem a página...
o caminho que já se iniciou ou é de Amor e Paz - tal como as pessoas dos anos 60 se bateram e iniciaram uma nova Era - ou então somos cilindrados e confinados a viver em patamares ainda mais dolorosos. Nunca se viu apelar á Paz oferecendo a Guerra, nunca se viu apelar ao Amor, oferecendo ódio, raiva, revolta, fúria, etc.
Pergunto: os senhores a quem dirijo este comnetário - e o Ruben que me perdoe, mas ambos escreveram para mim, ao contrário do reparo que fiz quanto a uma questão semelhante no meu blog - mas...AMAM-SE? Busquem lá no fundo do vosso coração onde reside o Amor - quer queiram ou não, é ele que vos/nos vivifica, com a tal chamazinha - não precisam responder.
Respondam para vós próprios.
Esse Amor não será o garante para pararem de uma vez por todas com dentes cerrados, sobrolho franzido e cara feia? isso, é espelhado depois no exterior!
Essas guerras internas, aí dentro... saiem depois para fora, quer em comentários, textos, reuniões, empregos, e outros ambientes....e ocasionam outras guerras de maior volume porque a "ENERGIA É A MESMA E AVOLUMA-SE TOCANDO OUTROS, COM AS MESMAS CARACTERÍSTICAS"! - é o que visionamos depois nos écrans dos televisores e aí então nos revoltamos com o que e passa pelo mundo e que é a negação do melhor que existe no SER humano!

Só há 10 anos como disse é que me dei conta disso e cheguei a esta conclusão, que descrevi aqui. Mas foi necessário também ter ido ao "tapete", para aprender á custa de muito sangue, suor e lágrimas o que hoje me sinto com moral e apta para poder passar a mensagem!


Fiquem bem pois e perdoem toda esta retórica e para quem possa ser céptico, experiências houve, por cientistas espiritualistas que utilizaram pessoas e também células para chegarem á conclusão daquilo, que outros espiritualistas, sem a ciência, já tinham chegado!

Penso que para além da leitura normal que se encontram nos escaparates das livrarias, nos mesmos escaparates, há também, uma outra leitura que nos diz directamente respeito....e saibam que os livros vêm ter connosco...no tocante a esta fracção - e eles, os livros, sabem exactamente em que patamar evolutivo estamos e daí o que devemos ler...por isso a nossa mão é encaminhada pelo nosso outro lado a pegar naquele que nos convém!
Este foi um á parte que achei interessante sublinhar! - também fiz essa experiência...e que surpresas tive!

ESPAVO! - reconhecendo a LUZ que há por aí....embora tlavez não pretendam que se veja... mas é para isso que cá estão! expandir essa Luz e não, torná-la difusa.

Mariz

P.S. - e não me importo de todo, e depois do que leram, me olhem com outros olhos, nem tão pouco que me achem uma tonta, ou alguém fora da realidade....já ouvi de tudo, sabem? e nem por isso me desvio daquilo a que me propus.
Hoje somos poucos..amanhã seremos milhões - nao era assim o vosso hino?
Acho que vem a propósito!

Ruvasa disse...

Viva, Mariz!

Não me leva a mal, mas vou responder-lhe um tanto telegraficamente, uma vez que tenho outros afazeres, por agora.

Não aponto o dedo a ninguém... não me considero mesmo autorizado a fazê-lo.

Mas, evidentemente que não deixo de referir-me, sem azedume, mas em jeito de croniqueta de tempos idos a histórias este ou daquele que mais contribuíram para a desgraça de tanta gente.

Pessoalmente, nem considero ter sido muito afectado
(embora tivéssemos conseguido trazer apenas e tão só uma cama de casal, uma alcofa de bebé, um sofá e dois maples e umas roupas, já que nem os candeeiros de tecto puderam vir por serem electrodomésticos... e a biblioteca - umas 2 centenas e meia de livros, entre os quais 12 dicionários).

Tanto eu como a Isabel sempre fomos gente de ânimo forte e que consegue desenvencilhar-se sem grandes alaridos, mesmo que tenhamos passado por dificuldades que não vou aqui relatar. Bastará que diga que, aos meus 37 anos e depois de passados os anos mais conturbados, tivemos que refazer a vida a partir do princípio, só que com 3 filhos, de 6, 4 e 1 anos de idade, sendo apenas eu a ter emprego.

Cá em casa ninguém alimenta ódios de estimação. Somos católicos. No entanto, incapazes de, como Cristo, oferecer a outra face, porque conta-nos a História o que Lhe aconteceu, precisamente por isso. Mas não somente por isso. Também porque a filosofia humana e até a fé cristã nos "comanda" a que preservemos a nossa vida, sob todos os capítulos, ela que é o bem mais precioso que temos. E, para prese5rvar a vida, teremos, forçosamente, que preservar a dignidade pessoal.

Sim, o caminho deve ser o do Amor e da Paz, falando de um modo geral. No entanto, em alguns casos, é também necessário que seja o do Amor e do pás, catrapás... pás...pás... A não ser assim, os patifes sairão sempre vitoriosos. Nem Deus quer isso, certamente.

Minha cara Mariz, há cerca de 40 anos que conheço boa parte da obra de Lobsang Rampa (Cyril H. Hoskins), a começar na "Terceira Visão", passando pelo "Médico de Lhasa", "A Sabedoria dos Lamas", "A décima terceira vela"...

Espavo!

Abraço

Ruben

Mariz disse...

Ruben,
Não referi determinados "livros em escaparate", para o "educar" nesta ou noutra fracção de vida, mas porque, muitos deles, contribuíram e continuam em parte, a ajudar nesta minha viragem - não pretendi ser irónica. Engraçado! também li todos esses que enunciou tinha eu uns 19/20 anos.
A vida, a começar do zero em várias etapas, só nos faz "crescer", e nesse crescimento vê-se a "ALTURA" DE CERTA GENTE.
Por isso lhe tiro o chapéu, pois sei bem o que isso é - não sou caloira nesse aspecto.
Perceberá que, começar de novo, do zero, depois de meio século vivido, é osso duro de roer! Por isso de etapa em etapa, tentando subir mais um degrau, me vejo, embora quando olhe para trás, dê a sensação que não saí do mesmo sítio. Reafirmo, hoje mais que nunca, se deve actuar com mansidão de coração... senão regressamos á estaca zero, mais adiante!...e não há muito mais vida, para se viver aqui....o tempo é já muito curto e ainda não passámos por tudo!
A Guerra, seja ela qual for - e da forma a que se assista - chama outra...GUERRA!
A nossa vivência, é feita por tentativas, até acertarmos! - já parei portanto, de andar por aí aos tiros! - embora ainda estrebuche por vezes...ninguém é perfeito, por isso me esforço!

E pronto! O que sei, é que continuo a ter muito prazer em o conhecer, Ruben!
Saudações fraternas e um abraço daqueles!
ESPAVO!... a dobrar!
Mariz

Nota: quanto á referência "oferecer a outra face" o sentido é: "não ripostar!"
Eu não sou católica...de todo!
sou cristã, com filosofia de vida Yogui.
Parafraseando o Dalai Lama...
quando um jornalista lhe perguntou qual era para ele a melhor religião que a humanidade devia seguir ele respondeu: "a melhor religião é aquela que melhor nos serve/convém".

Ruvasa disse...

Viva, Mariz!

Tanto quanto me parece não existe qualquer tipo de dessintomnia ou assintonia nas posições que defendemos.

Espavo!

Ruben