Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

1936. Chega, Marcelo, chega de descaramento!

Então, não foste tu e os teus compagnons de route que alcandoraram Manuela Ferreira Leite à presidência do partido, quando toda a gente sabia que ela não estava à altura e que tudo iria resultar num tremendo fracasso, em colapso inevitável?

E puseram-na lá, enganando os militantes, porquê?

Porque tencionavam passar-lhe a perna e ficarem vocês com o poder, não era assim? Fica claríssimo que era esse o objectivo!

Simplesmente, ela, embora não dispondo de argumentos para se bater com o "Sousa das maravilhas" nem com qualquer outro cabeça de partido português... convosco pode bem.

E passou-vos ela a perna. Agora, estão vocês encravadíssimos:

- Nem o raio da mulher morre nem a gente - ou seja, vocês - almoça, porra!

Pois!


Então, frustrados os maquivélicos planos que engendraste, mais os teus amigalhaços do costume - que todos bem sabemos quem são -, vens agora, com um descaro inaudito, fazer a tristíssima figura que andas a fazer.

Por que no te callas, carago? Por que não arranjas maneira de te tornares em alguém em que as pessoas possam minimamente confiar, homem de Deus?

Quosque tandem abutere, Marcelus, patientia nostra?, que é como quem diz "até quando abusarás, Marcelo, da nossa paciência?" e, em português mais directo e sincero: "E se fosses para o diabo que te carregue?" Isso, antes de que algo nos tolde a vista e o entendimento e nos leve a fazer-te, à força, compreender o que pareces não perceber, tu, ó supra-sumo da inteligência de artifício?

A senhora não serve, porque não tem chama nem foi fadada para estas andanças. Não a apoiei nem nela votei. Mas, por mim, prefiro-a, mesmo perdendo votos, a ter que te sofrer os efeitos. Sabes porquê? Porque tresandas a enxofre! És a morte em voo cego, dirigido a nada. Ao Nada mais vazio que se possa conceber.

Cala-te, pois! Vai dar uma curva ao bilhar grande e... volta, sim, mas apenas quando as galinhas tiverem dentes, ok? Gente melhor do que tu já por cá existe em demasia. E mesmo essa não a queremos porque não presta, imagina tu!
...

4 comentários:

expressodalinha disse...

Só quem não conhece este rapazinho dos tempos da faculdade é que ainda lhe liga... Já agora não percebo para quer alguém o poder nesta altura do campeonato. Eu queria era sair!

Ruvasa disse...

Viva, Jorge!

Houve um dia alguém que, distraído, lhe chamou "enfant terrible" da política portuguesa. Claro que era mentira, mas o homem acreditou. De então para cá, tem sido o descalabro.

E, como se já não bastasse tudo isto, que é muito, o "soi-disant enfant" ainda não entendeu uma de duas coisas:

- ou que já não é "enfant", o que torna mais ridículas estas farsas e facécias;

- ou que, sendo-o ainda... enfim, então já não tem remédio.

Se bem que, tratando-se de um indivíduo que já roça a "jarreteira", há que se desculpar-lhe algumas infelicidades. É que a senilidade é dura e não perdoa.

Será que não haverá lá por casa alguém suficientemente lúcido que lhe abra a janela por onde é uso entrar o entendimento, de molde a fazer-lhe compreender os factos simples da vida? Ou já nem lá em casa o conseguem aturar ou, ainda, já lá não tem ninguém, porque todos abalaram a fugir, antes de que ficassem iguais?

Abraço

Ruben

Isabel Magalhães disse...

Ruben;

Hummm... acho que são efeitos da virose adquirida quando mergulhou no Tejo. Engoliu qq coisa sólida que lhe 'bloqueou' o cérebro.

Agora a sério: como sabe tb não votei nem apoiei a Senhora, não gostei da sua actuação como Ministra das Finanças mas reconheço-lhe uma HONESTIDADE que falta a uns quantos (muitos?) políticos profissionais à solta.


Abraço

I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Desconfio bem que a virose n~´ºapo foiu adquirida então. Terá sido, isso sim, passada rtambém mpara as... taínhas, que as Tágides tinham-se pirado quando souberam da notícia de que o merguilho iria ser dado. Foge!!! - avisaram entre si...

Abraço

Ruben