Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

domingo, 28 de janeiro de 2007

828. O juramento de Hipócrates

Eu, solenemente, juro
. consagrar minha vida a serviço da Humanidade.
. Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão. Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade.
. A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação.
. Respeitarei os segredos a mim confiados.
. Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão médica.
. Meus colegas serão meus irmãos.
. Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes.
. Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção.

. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza.
. Faço estas promessas, solene e livremente, pela minha própria honra.

...

5 comentários:

marco valle santos disse...

Pois é, o Juramento de Hipócrates virou o Juramento Hipócrita.
Mudaram poucas letras mas a diferença é muita :D LOL

Bom Garfo disse...

Hoje já não existe honra. Já passou de moda. A Honra só existia no tempo de Hipócrates.

Ruvasa disse...

Viva!

Ainda existe honra na maioria dos homens e, portanto, também na maioria dos médicos. Quando, porém, vejo m+edicos a defenderem a realização do aborto, arrepio-me e penso cá para comigo que dificilmente quereria que um tipo daqueles me tratasse da saúde...

Abraço

Ruben

Isabel-F. disse...

... a maioria dos médicos não irá praticar abortos só por que "sim"...

são poucos os que alinharão nisso ...

boa semana
bj

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

Também estou crente de que sim. Felizmente.

Boa semana para ti, igualmente.

Beijinho

Ruben