Os portugueses têm de salvar-se de si próprios, para salvarem Portugal

quinta-feira, 21 de junho de 2007

1142. Sem comentários

Prática do aborto isenta de pagamento de taxas moderadoras

Todas as mulheres que decidam interromper voluntariamente a gravidez estarão isentas de taxas moderadoras no Serviço Nacinal de Saúde, tal como qualquer outra grávida. A garantia foi dada hoje pelo ministro da Saúde, Correia de Campos, em conferência de imprensa, onde apresentou a regulamentação da nova lei da Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG), que entrará em vigor no dia 15 de Julho.
Público online

5 comentários:

Pedro Morgado disse...

Essa isenção é um tremendo erro político que tem que ser rapidamente corrigido. Haverá poucas situações em que moderação é mais pertinente que no caso da IVG.

al cardoso disse...

Enquanto se instituem mais taxas noutras areas da saude, o ministro apresenta-nos agora esta!
Porra mas que cambada de "abortos"!

Um abraco beirao.

Ruvasa disse...

Vivam Pedro e Al Cardoso!

Peço desculpa por responder a ambos num único texto, mas tinha prometido a mim mesmo nem sequer fazer qualquer comentário. Por outro lado, a resposta vai servir para ambos.

Quanto a mim o que se pode retirar de mais esta medida de "alto gabarito" é que reina por aí, designadamente nas altas esferas políticas e governamentais uma assombrosa falta de ética. Nunca, em toda a história recente portuguesa - recente de cerca de 70 anos - se chegou a este cúmulo.

Abraço para ambos

Ruben

Isabel Magalhães disse...

SNS - O governo vai aplicar taxas moderadoras às crianças de menos de doze anos que até agora estavam isentas.

Donde que.........


Bom... nem quero concluir porque fico arrepiada só de pensar na frase.


[]
I.

Ruvasa disse...

Viva, Isabel

Sim, é melhor nem concluir... Ma a gente percebe.

[]

Ruben